INTERNET

NETmundial dá primeiros passos rumo a novo modelo de governança da internet

Por Roberta Prescott* ... 30/06/2015 ... Convergência Digital

O Conselho de Coordenação da Iniciativa NETmundial (ou NMI, de NETmundial Initiative) se reuniu nesta terça-feira, 30/06, em São Paulo, para estabelecer mecanismos de trabalho e próximos passos. “Este é o início de um novo começo, estamos entrando em novo território”, disse professor Wolfgang Kleinwächter, embaixador Especial da Iniciativa NETmundial, em entrevista ao portal da Abranet. “Este encontro marca um próximo passo no melhor entendimento no espaço cibernético.” Tudo que foi feito até agora dentro da iniciativa foi um trabalho preparatório para definir termos de referência.

Entre os objetivos, as delegações devem decidir qual a plataforma será usada para receber os projetos de melhores práticas. A expectativa é que se opte pela evolução do modelo usado no evento NET Mundial, que ocorreu em São Paulo no ano passado e foi o pontapé para o desenvolvimento da NMI em âmbito global. A plataforma para cadastro de projetos e comentários está na versão beta.

Os projetos devem abranger estudos de casos e iniciativas que abordem o desenvolvimento da Internet, a construção de capacidade, a clarificação de problemas legais, entre outros temas. “A NMI não é evento, nem associação, nem showroom. É uma plataforma para apresentar resultados que ajudam a desenvolver a Internet, principalmente em países em desenvolvimento”, explicou o professor Hartmut Glaser, que também é secretário-executivo do CGI.br. Durante o encontro em São Paulo, o CGI vai tentar evangelizar o modelo multissetorial que o Brasil usa para outros países e também mostrar como reduziu os spams.

A importância da iniciativa decorre da evolução da Internet. “Com os atuais 4 bilhões de pessoas conectadas, problemas de políticas começaram a aparecer como, por exemplo, quem deve governar a Internet. Não deveria ser uma grande unidade ou governo, mas incluindo as múltiplas partes interessadas”, explicou Kleinwächter. Para ele, o advento da computação em nuvem e da Internet das Coisas impõe novas questões sobre privacidade, liberdade de expressão e segurança, que devem ser debatidas.  Além destes tópicos, Glaser acrescenta a necessidade de se debater a inclusão digital, por meio, entre outros, de linhas de equipamentos subsidiados.

* Com informações do Portal da Abranet


PL de Dados Pessoais tem de olhar para as pequenas e médias empresas

Equilíbrio deve ser a palavra-chave da legislação de forma a assegurar o desenvolvimento tecnológico. "Não temos só as grandes companhias", adverte Ciro Freitas, advogado da Pinheiro Neto.

Economia digital: 'Sem dados, regulamentação fica muito emocional'

A afirmação é do professor da FGV e ex-conselheiro e superintendente-geral do CADE, Carlos Ragazzo. Segundo ele, falta uma discussão estruturada sobre a regulamentação de novas tecnologias no país.

BRFibra: ISPs fazem o trabalho das operadoras, mas faltam backbones e sistemas DWDM

"Ter a fibra óptica no acesso não é tudo. Precisamos ter condições de distribuir as informações", observa o José Paulo Linné, presidente da BRFibra Telecomunicações.

Em 12 meses, internet fixa ganhou 1,5 milhão de novas conexões

A alta foi de 5,92% no período. Brasil tem 28,1 milhões de acessos ativos a internet fixa. Provedores Internet responderam por 66% dessas novas conexões.

PEC inclui acesso à Internet entre os direitos fundamentais

Medida, aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal, será analisada por uma Comissão Especial a ser criada. Irá ainda a Plenário para votação.

Revista Abranet 22 . set/nov 2017
Veja a Revista Abranet nº 22 Reforma trabalhista: impactos para os ISPs. Conheça o novo cenário e saiba o que muda para as empresas de Internet. E mais: Os robôs chegaram pra valer; A incerteza dos 450 MHz; TIC Educação: o papel dos provedores.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G