GOVERNO » Legislação

Planejamento x Anatel: rombo fiscal não permite troca de multas por investimentos

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/07/2017 ... Convergência Digital

Em audiência pública no Congresso Nacional, o Ministério do Planejamento indicou não haver interesse na troca de multas por investimentos, em contraponto direto à tentativa da Anatel de inserir a lógica dos TACs na Medida Provisória 780/17, que cria o Programa de Regularização de Débitos (PRD), um ‘Refis’ para dívidas não tributárias. 

“A Medida Provisória foi elaborada com esse espírito de aumento da receita do governo para reduzir o contingenciamento de despesa”, afirmou o secretário-adjunto da Secretaria de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Júlio Alexandre Menezes da Silva. “Temos posição contrária a essa conversão em investimentos, porque ela pode gerar um risco muito grande para o objetivo inicial, que é arrecadar recursos, mas também gerar um risco estrutural maior ainda sobre o poder de polícia da regulação.”

Anatel e MCTIC chegaram a preparar uma minuta de MP com termos para a negociação de multas atrasadas por compromissos de investimentos, especialmente para operadoras de telecom em “fragilidade econômica”. O principal envolvido, o conselheiro Igor de Freitas, da Anatel, foi ele mesmo defender a ideia na comissão mista que analisa a MP. “A atratividade deste PRD em termos da arrecadação em curto prazo, se fosse combinada ainda que com uma conversão parcial de investimentos seria muito maior”. 

Ao repetir mais de uma vez que “somos contrários em converter parte dos investimentos”, o representante do Ministério do Planejamento atinge além da própria 780, ao enfraquecer as chances (se ainda havia alguma) de a Medida Provisória nos termos propostos pela Anatel e MCTIC realmente se materializar. 

O relator da MP, senador Wilder Morais (PP-GO) disse que vai analisar as questões levantadas e apresentar até 8/8 um relatório “que não atrapalhe o funcionamento das agências e que possa ajudar o governo a atingir as suas metas”. A votação na comissão deve se dar uma semana depois. 

* Com informações da Agência Senado


Diretor da Dataprev que propôs demitir mil funcionários pede exoneração

Desafeto político do presidente da estatal, Leandro Magalhães, Júlio César de Araújo Nogueira foi imposto para a diretoria da empresa pelo ex-ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, que, agora, segue para a presidência do BNDES.

Câmara aprova urgência para votar a reoneração da folha de pagamento

Empresas de TI e de Call center podem ter de voltar a contribuir com alíquota de 20% , após 90 dias da publicação da nova legislação.

Decreto cria estrutura multissetorial para cuidar da transformação digital

A tradicional SEPIN, secretaria de Políticas de Informática, deixa de existir e se transforma na SEPOD, secretaria de políticas digitais, com Thiago Camargo Lopes à frente. Como política de Estado,  cobrança de resultados acontecerá em diversas pastas.

Estratégia Digital reúne antigas demandas e programas repaginados

Escolas conectadas, incentivos a isenções de ICMS, uso do Fust, apoio a startups, estímulo a exportações e até um novo Proinfo fazem parte das ações estratégicas que estimulem a economia digital no Brasil.

Jarbas Valente assume Telebras. Maximiliano Martinhão volta ao MCTIC

Seis meses e meio depois de assumir a presidência da Telebras, Martinhão, que estava antes à frente da SEPIN, retorna ao Ministério. Ele vai cuidar da Secretaria de Inovação.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G