Convergência Digital - Home

Multicloud é estratégica para CenturyLink, ex-Level 3, avançar no Brasil

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 18/04/2018

"Ainda temos muito para avançar no Brasil. Hoje estamos com 3% do mercado nacional, estamos no top 10, mas queremos mais", afirmou o presidente da CenturyLink, ex-Level 3, Marcos Malfatti, em encontro com a imprensa nesta terça-feira, 18/04, na capital paulista. Em 2017, a Level 3 superou a marca de R$ 1 bilhão de faturamento, o que representa 1,2% do faturamento global da companhia.

Como não há sobreposição entre CenturyLink e Level 3, uma vez que a empresa norte-americana não tinha atuação direta na América Latina, a incorporação dos serviços existentes é mais transparente. De acordo com executivos da CenturyLink, atualmente, 70% do tráfego IP passam pelo backbone global da companhia.

"A Level 3 não investia muito em serviços de datacenter. A CenturyLink tem muitos produtos. Nos EUA, ela fica atrás apenas da AT&T. Estamos trazendo todo o portfólio de computação em nuvem, de gestão e governança de cloud para nossos clientes", explicou Eduardo Freitas, diretor de dados da CenturyLink. Neste momento, observou ainda Fernando Zangrande, diretor de serviços de cloud, há pilotos na América Latina. No Brasil, esses testes começam no segundo semestre.

"Multicloud é o sonho das empresas. Ela permite a integração da nuvem privada com a nuvem pública", reforça. Hoje a CenturyLink tem parceria com a Amazon Web Services e com a Microsoft Azzure na integração de serviços privados e públicos de nuvem. A aquisição da Level 3 pela CenturyLink por US$ 34 bilhões, concluída em novembro de 2017, foi o primeiro passo da provedora norte-americana para atuar fora dos Estados Unidos.

No seu país-sede, a empresa atua na oferta de serviços diretos aos consumidores, mas não há a intenção de expandir essas ofertas para a América Latina. "Não há planos de atuar direto ao consumidor no Brasil ou na América Latina. Nosso mercado é o corporativo, o governamental e sempre o será", decretou o presidente da CenturyLink no Brasil, Marcos Malfatti, que passa por mais uma nova integração- ele está na companhia desde que a Impsat foi comprada pela Global Crossing, em 2006, depois adquirida pela Level 3.






Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Vivo já têm seis data centers virtualizados no Brasil

"Todo núcleo de voz já está virtualizado, como o de dados também", informa o diretor de planejamento e de redes da Vivo, Átila Branco.

Google mantém Brasil fora da estratégia de data center na América Latina

Companhia está investindo US$ 140 milhões para triplicar o tamanho do data center no Chile, com a geração de 1200 empregos diretos e indiretos. No Brasil, o regime especial para datacenters não sai do papel, como todas as ações de políticas públicas para TICs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Dos ambientes offline à estratégia MultiCloud

Por Fabio Gordon*

É preciso reconhecer a necessidade de mudança, entender que o seu data center de 20 anos não vai mais suportar os negócios digitais. É imprescindível fazer um diagnóstico do seu ambiente de TI e começar a mudar. E rápido, porque é provável que os seus competidores já estejam fazendo isso.

Nuvem é o agora e o futuro da competitividade

Por Artur Hansen*

Em cloud, todo investimento é hermético, organizado de acordo com as justas necessidades de cada empresa.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site