TELECOM

TCU vê riscos na proposta de revisão do modelo de telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 08/05/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União indicou ao Senado que as mudanças propostas à Lei Geral de Telecomunicações trazem uma série de riscos que precisam ser melhor avaliados pelos parlamentares nas deliberações sobre o PLC 79/16. Em audiência nesta terça-feira, 8/5, a secretaria de fiscalização de Comunicações do TCU mostrou receios sobre mecanismos da transição, a competência da Anatel e mesmo sobre a capacidade das operadoras assumirem novos compromissos. 

“Em dezenas de fiscalizações temos uma série de achados e constatações relevantes e que trazem riscos à eficiência da migração de modelo. O TCU não é contrário à atualização da LGT. Há consenso de que é necessário avanço, mas há questões que vão afetar a correta migração de um modelo para outro”, afirmou o secretário de fiscalização do TCU, Ivan Pacheco Rogedo.

Segundo ele, nessas fiscalizações, a Corte de Contas constatou falta de dados necessários e mesmo o acompanhamento deficiente do desempenho econômico-financeiro das concessionárias, o que, avalia, acabou incorrendo na recuperação judicial da Oi. Além disso, faltam informações essenciais sobre os bens reversíveis, uma das principais fontes do eventual saldo da migração pelo qual as empresas assumirão compromissos com a ampliação das redes no país.

“Verificamos deficiências na fiscalização de compromissos assumidos pelas concessionárias, embora com avanço a partir da discussão dos TACs. A capacidade de fiscalização da Anatel estará diretamente relacionada à forma como as empresas farão investimentos a partir de uma eventual migração. Mas em função desses problemas poderemos ter uma dilação temporal para o cálculo do eventual saldo  da migração, ou pode haver apuração equivocada, ou até a impossibilidade de assunção de compromissos”, afirmou Rogedo.

O TCU apontou, ainda, que o projeto diminui o enforcement para a promoção da universalização das telecomunicações, e questionou o interesse para o Estado da adoção de outorgas, de radiofrequência e posições orbitais, com renovação infinita, sem novas licitações.

“Os leilões de espectro arrecadaram R$ 70 bilhões, em valores atualizados. O projeto sugere que haja prorrogações ilimitadas, mas qual será a repercussão financeira dessa proposta? Alcançaria as frequências já licitadas? Elas foram licitadas e precificadas com base em regra anterior. Isso permitiria a entrada de novos interessados? Esse mercado secundário de radiofrequências deveria ser objeto de alguma regulação”, insistiu o secretário de fiscalização do TCU.


Internet Móvel 3G 4G
TIM e Claro lideram perda de assinantes. Pós-pago chega a 44,67% do mercado

Mercado móvel segue perdendo base, mas o pós-pago, privilegiado pela estratégia das teles móveis e pelo impulso do 4G, cresceu e chegou a 44,67% do mercado. Nextel, comprada pela Claro Brasil, detém 55% dos assinantes das chamadas prestadoras de pequeno porte.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Painel Telebrasil 2019 anuncia temas das 24 sessões temáticas

Evento, que é o maior do setor de Telecomunicações, acontece nos dias 21, 22 e 23 de maio, em Brasília. Ao todo, serão 24 sessões temáticas que vão abordar temas como capacitação digital, regulação responsiva, direitos de passagem e tributação para Internet das Coisas.

Teles fazem cadastramento para atualizar dados de clientes do celular pré-pago

O recadastramento dos usuários junto às operadoras começará nesta quinta-feira, 18/04, pelo DDD 62, alcançando progressivamente todo o País até agosto. Quem não fizer o recadastramento terá a sua linha bloqueada enquanto o cadastro não for atualizado.

Oi faz piloto de internet das coisas rural em 450 MHz

Rede integrada de sensores e dispositivos conecta uma das fazendas da trading Amaggi, em Mato Grosso. Segundo a Oi, faixa de 450 MHz "é fundamental para IoT no campo".

Para a Anatel, prêmio de acessibilidade inaugura regulação por incentivos

“Queremos mudar a ótica, promover competição por qualidade e uma ferramenta são os rankings. Agora acessibilidade, mas teremos no ano que vem de qualidade e atendimento”, diz o presidente da agência, Leonardo de Morais. A TIM foi a primeira colocada em ações de acessibilidade.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G