TELECOM

TCU vê riscos na proposta de revisão do modelo de telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 08/05/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União indicou ao Senado que as mudanças propostas à Lei Geral de Telecomunicações trazem uma série de riscos que precisam ser melhor avaliados pelos parlamentares nas deliberações sobre o PLC 79/16. Em audiência nesta terça-feira, 8/5, a secretaria de fiscalização de Comunicações do TCU mostrou receios sobre mecanismos da transição, a competência da Anatel e mesmo sobre a capacidade das operadoras assumirem novos compromissos. 

“Em dezenas de fiscalizações temos uma série de achados e constatações relevantes e que trazem riscos à eficiência da migração de modelo. O TCU não é contrário à atualização da LGT. Há consenso de que é necessário avanço, mas há questões que vão afetar a correta migração de um modelo para outro”, afirmou o secretário de fiscalização do TCU, Ivan Pacheco Rogedo.

Segundo ele, nessas fiscalizações, a Corte de Contas constatou falta de dados necessários e mesmo o acompanhamento deficiente do desempenho econômico-financeiro das concessionárias, o que, avalia, acabou incorrendo na recuperação judicial da Oi. Além disso, faltam informações essenciais sobre os bens reversíveis, uma das principais fontes do eventual saldo da migração pelo qual as empresas assumirão compromissos com a ampliação das redes no país.

“Verificamos deficiências na fiscalização de compromissos assumidos pelas concessionárias, embora com avanço a partir da discussão dos TACs. A capacidade de fiscalização da Anatel estará diretamente relacionada à forma como as empresas farão investimentos a partir de uma eventual migração. Mas em função desses problemas poderemos ter uma dilação temporal para o cálculo do eventual saldo  da migração, ou pode haver apuração equivocada, ou até a impossibilidade de assunção de compromissos”, afirmou Rogedo.

O TCU apontou, ainda, que o projeto diminui o enforcement para a promoção da universalização das telecomunicações, e questionou o interesse para o Estado da adoção de outorgas, de radiofrequência e posições orbitais, com renovação infinita, sem novas licitações.

“Os leilões de espectro arrecadaram R$ 70 bilhões, em valores atualizados. O projeto sugere que haja prorrogações ilimitadas, mas qual será a repercussão financeira dessa proposta? Alcançaria as frequências já licitadas? Elas foram licitadas e precificadas com base em regra anterior. Isso permitiria a entrada de novos interessados? Esse mercado secundário de radiofrequências deveria ser objeto de alguma regulação”, insistiu o secretário de fiscalização do TCU.


Internet Móvel 3G 4G
Qualcomm é multada em mais de R$ 1 bilhão por prática antitruste na Europa

“O comportamento estratégico da Qualcomm impediu a competição e a inovação no mercado”, afirmou a comissária de concorrência da União Europeia, Margrethe Vestager, ao justificar a aplicação da multa. A Qualcomm vai recorrer da decisão.

Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Começa a valer cadastro que bloqueia telemarketing das teles

A partir deste 16/7, será possível inscrever números no cadastro ‘Não Me Perturbe’. Promessa da Anatel é que em 30 dias os inscritos não receberão mais chamadas promocionais das operadoras de telecom.

Imposto zero para IoT está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Deputado Federal, Paulo Ganime (Novo/RJ), diz que o projeto de Lei 7656/2017, corrige uma distorção - a cobrança de FISTEL para os dispositivos IoT.

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 

Comissão aprova prazo de seis meses para instalação de bloqueador de celular em presídios

Relator do projeto retirou o dispositivo que condicionava as novas outorgas de telecomunicação à instalação, ao custeio e à manutenção dos bloqueadores pelas prestadoras.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G