Home - Convergência Digital

Sem acordo entre patrões e empregados de TI em São Paulo

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 17/05/2018

Não houve acordo entre patrões e empregados na segunda audiência de conciliação entre Sindpd e Seprosp, no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, para a definição da Convenção Coletiva de Trabalho 2018 dos trabalhadores de TI. A audiência foi realizada nesta quinta-feira, 17/05, e foi presidida pelo desembargador Carlos Roberto Husek. Não foi agendada uma nova audiência de conciliação.

O departamento jurídico do Sindpd argumenta que o sindicato patronal não tem legitimidade para propor dissídio coletivo de natureza econômica, apenas dissídio de greve, caso que não se apresenta nesta negociação. A comissão dos trabalhadores reitera ainda que não concorda com o ajuizamento do dissídio porque não houve o encerramento das negociações.

Para o presidente Antonio Neto, "o Sindpd não concorda com o fim da negociação" e continua aberto aos debates para o fechamento da Convenção Coletiva. Paralelo ao trâmite junto ao Tribunal, o Sindpd permanece à disposição das empresas que desejarem estabelecer acordo coletivo com o Sindicato dos Trabalhadores, bem como está aberto ao retorno das negociações para o fechamento da Convenção Coletiva 2018 junto ao Seprosp.

De acordo com a ata da 1ª rodada da negociação, a data-base da categoria continua sendo 1º de janeiro e a Convenção Coletiva 2017 permanece válida até que se firme um novo acordo.  A campanha salarial 2018 teve nove rodadas de negociação, mas não houve acordo entre as partes. Os patrões fecharam as negociações da campanha salarial de TI 2018 oferecendo um reajuste de 2,07%.

Também reivindicaram - e tiveram pedido negado pelos trabalhadores - para inserir na CCT da categoria, artigos que permitam às empresas ter liberdade de negociar diretamente com os trabalhadores questões referentes à jornada de trabalho, como trabalho aos domingos e feriados, ponto por exceção, jornada flexível e 12x36 horas.

Já em relação às viagens a serviço, a comissão patronal propôs - e também não foi aceito pelos trabalhadores- que o tempo gasto no trajeto das viagens não conte como  tempo de trabalho.Sobre o auxílio-alimentação, os empresários mantiveram a proposta de R$ 18, com os "descontos legais" aplicados.

*Com informações do Sindpd. O Sindicato Patronal não fornece informações

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/02/2019
TRT ordena a reabertura das negociações salariais de TI em São Paulo

19/02/2019
TRT vai mediar impasse entre patrões e empregados de TI em São Paulo

06/02/2019
Impasse encerra negociação salarial de TI em São Paulo. Trabalhadores vão discutir greve

29/01/2019
Negociação entre patrões e empregados de TI não avança em São Paulo

22/01/2019
Impasse já marca a negociação salarial de TI em SP para 2019

19/12/2018
TRT/São Paulo homologa dissídio coletivo de TI de 2018

12/12/2018
Trabalhadores de TI de São Paulo vão discutir trabalho intermitente com patrões

11/12/2018
No Rio de Janeiro, reajuste dos trabalhadores de TI ficou em 4,16%

10/12/2018
Reajuste salarial de trabalhadores de TI de São Paulo ficou em 2,07%

18/10/2018
Dissídio TI : Patrões dizem não à arbitragem pública sugerida pelo TRT de São Paulo

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

STF anula decisão do TST e reforça valor legal da terceirização

Decisão aconteceu em uma ação de uma atendente contratada pela Contax, prestadora de serviços de call center, para atuar como terceirizada na Telemar Norte Leste.

Mais de 60% dos brasileiros estão infelizes, mas têm medo de mudar de emprego

Estudo da Brands2Life, com o LinkedIn, traz um dado assustador: 80% dos brasileiros não se candidata para a vaga de trabalho que gostaria. Cerca de um terço dos profissionais deixa de se candidatar a uma nova vaga por falta de confiança na sua própria capacidade.

Serviços de TI e de Telecom podem ser 100% terceirizados no Governo Federal

Também foi incluída na lista divulgada pelo governo Federal o serviço de teleatendimento. Decisão está publicada na portaria 443/2018.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site