Convergência Digital - Home

Para a Red Hat, o futuro da infraestrutura de TI é o Open Source

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Rafael Mariano - 06/11/2018

Não há futuro para a infraestrutura de TI, por questões de custo e escala, sem a adoção do Open Source, afirma o country manager da Red Hat Brasil, Gilson Magalhães. Segundo ele, o caminho para o Open Source é sem volta até pela exigência contínua da Inovação. "A transformação digital exige um repensar dos modelos de TI", acrescenta Magalhães ao falar da nova aposta da empresa: os containers.

"Os containers endereçam flexibilidade, padronização e permitem novas cargas de trabalho. Há um desejo intenso pelo uso dos recursos da nuvem híbrida, só que é preciso encontrar o equilíbrio entre o que já se desenvolveu, o legado, e o que se pode fazer hoje na nuvem. Os containers são a resposta para amparar os micros serviços que surgem, uma vez que rodam as aplicações em qualquer lugar", explica o country manager, que participou do evento Containers Of Ideas, realizado nesta terça-feira, 06/11, em São Paulo e que reuniu clientes e parceiros para discutir tecnologia.

O ano de 2018 foi classificado como 'fora da curva' para a Red Hat Brasil, uma vez que a subsidiária obteve resultados acima do esperado e 2019 está projetado para manter essa tendência de crescimento, mesmo com a aquisição da Red Hat pela IBM, por US$ 34 bilhões. Gilson Magalhães explica que os clientes estão vendo a compra com 'extremo otimismo', uma vez que agora há a possibilidade de, com uma combinação de sinergias e de forma agnóstica, se chegar a mais e mais empresas. Assistam a entrevista com o country manager da Red Hat, Gilson Magalhães.


LEIA TAMBÉM:
Destaques
Destaques

Brasil fica nas últimas posições em ranking mundial de uso de Big Data e Analytics

Brasil fica na posição 60º em 63º no uso das novas tecnologias da economia digital do Ranking de Competitividade Mundial 2019, produzido pela escola suiça IMD, com parceria no País, com a Fundação Dom Cabral. Em competitividade, País segue nas últimas posições.

Startup catarinense usa big data para combater desperdício de água potável

Startup catarinense, AcquaLogic, desenvolveu solução para tratar os dados de empresas de saneamento para evitar o desperdício. Em 2016, o Brasil jogou no lixo 38% da água consumível, segundo dados do Instituto Trata Água. Startup, agora, quer unir big data à Internet das Coisas.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site