SEGURANÇA

Reconhecimento facial protagoniza segurança na Copa América

Convergência Digital ... 14/06/2019 ... Convergência Digital

Responsável por coordenar a atuação das forças federais e estaduais de segurança pública voltadas à manutenção da integridade dos torcedores que assistirão aos jogos da Copa América nos estádios, o Ministério da Justiça e Segurança Pública montou um forte esquema de vigilância no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional, em Brasília. É desse centro que serão monitorados, por exemplo, a rotina em aeroportos, hotéis, centros de treinamento, estádios e pelas rotas por onde passarão as várias equipes que participam do evento esportivo. Eventuais ocorrências em bares, restaurantes e nos estádios também serão monitoradas.

A operação contará com a participação de agentes da Secretaria de Operações Especiais, do Ministério da Justiça, além de membros da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), do Ministério das Relações Exteriores e representantes dos cinco estados onde haverá jogos: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

O Ministério da Justiça confirmou que houve troca de dados entre os países participantes para a identificação de torcedores com históricos de violência. Para impedir a entrada de torcedores violentos nos estádios, a tecnologia de reconhecimento facial será utilizada durante a competição. Em São Paulo, serão usados dois sistemas: um da polícia civil do Estado para identificar torcedores locais e um da organizado do evento, a Commebol, com imagens dos torcedores dos demais países.

Já em Minas Gerais, as forças de seguranças vão usar uma plataforma de reconhecimento facial para monitorar comportamentos suspeitos. É a primeira vez que essa tecnologia, ainda em forma de teste, será usada no estado. As imagens de mais de 1,3 mil câmeras espalhadas pela capital mineira serão monitoradas no Centro Integrado de Comando e Controle. Ao identificar alguma atitude suspeita o sistema cruza as imagens obtidas com um banco de imagens e dados já armazenado para verificar se envolvem pessoas com mandados de prisão em abertos ou foragidos da Justiça.


Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 

Bancos querem prisão por até 18 anos para cibercriminosos

Instituições financeiras pedem a aprovação urgente do PL 2638, apresentado na Câmara, pelo deputado Marcelo Ramos, PR/AM, que impõe punição rigorosa às fraudes cibernéticas. "A impunidade é um incentivo", diz Adriano Volpini, do Itaú-Unibanco.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G