Convergência Digital - Home

Cloud Native: o que muda com a chegada do 5G

Convergência Digital
Convergência Digital - 05/12/2019

O 5G vai mudar a forma de desenvolver aplicativos e o uso da computação em nuvem, aponta o relatório 5G e a nuvem, produzido pela 5G Américas, associação setorial dos principais provedores de serviços e fabricantes do setor de telecomunicações. No material, a entidade aponta as vantagens e os desafios de ser Cloud Native, um conceito de design para o desenvolvimento e execução de aplicativos hospedados em nuvens públicas e privadas.

De acordo com a 5G Americas, os conceitos Cloud-Native apresentam vantagens importantes que podem acelerar o desenvolvimento e aprimoramento dos recursos e capacidades de redes sem fio. Essas vantagens incluem várias técnicas modernas que já são usadas na computação em nuvem, como o uso dos containers, os microserviços, a entrega contínuas e DevOps, ou desenvolvimento e operação de aplicativos.

"Os desenvolvedores estão usando a integração automatizada e contínua para testar novos códigos e conceitos e colocá-los em prática. Com o conceito Cloud Native, as companhias e o setor de telecomunicações poderão acelerar a implementação de novas ideias e fortalecer sua capacidade de inovar", enfatizou o presidente da 5G Americas, Chris Pearson.

Além de analisar o caminho para chegar a um core 5G Cloud Native, o relatório também identifica o rico ecossistema de apoio que viabilizou o conceito Cloud Native e a construção e execução de aplicativos que conseguem aproveitar de todas as vantagens do modelo de computação em nuvem. Esse modelo inclui arquiteturas para serviços, infraestrutura como código, automação, caminhos para integração/entrega contínua, ferramentas de monitoramento e muito mais.

O relatório 5G e a Nuvem também identifica as necessidades da tecnologia 5G e como elas podem ser atendidas pelo modelo Cloud-Native, apresentando estratégias de migração, boas práticas e caminhos para sua implementação.  Veja a íntegra do estudo: https://www.5gamericas.org/wp-content/uploads/2019/12/5G-Americas_5G-and-the-Cloud..pdf


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Taesa faz transformação digital baseada em dados

Concessionária de energia impulsionou a transformação digital por meio de uma estratégia de gestão da tecnologia baseada em dados e integração.

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site