Home - Convergência Digital

Nova onda de fake news contra 5G faz britânicos queimarem antenas

Convergência Digital - 06/04/2020

Com 5 mil mortes pela Covid-19, o Reino Unido sofre ao longo dos últimos dias um novo problema: a disseminação de notícias enganosas que associam 5G com coronavírus resultou em várias torres sendo queimadas, como mostram vídeos postados em diferentes redes sociais, como Facebook, YouTube e Instagram. 

O governo britânico já se manifestou em apelo para que a “bobagem perigosa” seja encerrada e as quatro principais operadoras móveis do país lançaram um comunicado conjunto igualmente pedindo o fim dos ataques, que também ameaçam funcionários que tentaram fazer reparos nas estações radio base. 

“Não apenas são alegações sem base, são também prejudiciais às pessoas e aos negócios que dependem da continuidade dos serviços”, diz a nota assinada pela EE, o2, Three, e Vodafone. “Também levaram a abusos contra nossos engenheiros e, em alguns casos, evitaram manutenções essenciais na rede acontecerem.”

Os ataques às antenas se deram especialmente em Birmingham, Liverpool e Merseyside. A Vodafone confirmou quatro torres queimadas. A EE confirmou pelo menos uma, que sequer era de 5G, mas novos vídeos de torres incendiadas foram postadas nas redes sociais no domingo, 5/4. 

Tudo indica que a teoria da conspiração que alimenta os ataques sustenta que antenas de 5G facilitam a propagação do coronavírus, em boatos que começaram ainda em janeiro apontando que a África não tinha problemas com a Covid-19 porque não tem 5G instalado – o continente registra, até aqui, 7,7 mil casos e mais de 300 mortes. 

Segundo os noticiários britânicos, as ‘fake news’ à respeito aparecem em duas vertentes, de um lado apontando que o 5G ataca o sistema imunológico, deixando as pessoas mais suscetíveis à contaminação pelo vírus. De outro, alegam que o coronavírus é capaz de ser transmitido pelo próprio uso da tecnologia 5G. “São o pior tipo de fake news”, segundo autoridades de saúde do Reino Unido. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

09/07/2020
Contadores processam Caixa por falhas no sistema do FGTS prorrogado

09/07/2020
Videoentrevistas gratuitas foram usadas em 501 processos seletivos em função da Covid-19

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

08/07/2020
Faria: 5G depende de posição do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

06/07/2020
IA Carol, da TOTVS, liderou força-tarefa por soluções no combate à Covid-19

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

01/07/2020
Covid-19: ativado o primeiro repositório de dados abertos do Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site