OPINIÃO

Por que NFC-e 4.0?

Por Fábio Xavier*
04/10/2018 ... Convergência Digital

Após o sucesso da implementação da nota NF-e modelo 55, o varejo se prepara para a chegada da NFC-e modelo 65, versão 4.0, que foi criada a partir da necessidade de padronizar o modelo usado em todo o território nacional para o varejo. A novidade obedece às particularidades do setor e oferece maior controle das informações tributárias, já que os FISCOs têm acesso e possibilidade de validação destes documentos eletrônicos em tempo real.

Na versão atual, já existe uma preocupação com a redução dos custos na emissão do documento fiscal, na simplificação, e até, a dispensa de outras obrigações acessórias. Com o uso da tecnologia os comerciantes também ganham mobilidade, podem enviar o documento eletrônico diretamente para o e-mail/celular do consumidor e conseguem integrar suas vendas físicas com o e-commerce. Mas, enfim, desde o dia 01 de outubro, o que a versão 4.0 tem de diferente?

Primeiro, o ICMS efetivo. O contribuinte será obrigado, quando houver a cobrança estadual, a preencher valores que serão utilizados para o cálculo do complemento ou de ressarcimento do ICMS, de forma mais facilitada. Lembrando que esta informação terá impacto direto no resultado mensal do estabelecimento.

Outra novidade é o QRCODE 2.0. A URL da versão 2.0 deve ser disponibilizada para emissão online e offline, como plano de contingência. Quanto à usabilidade, o novo código permite maior quantidade de armazenamento de dados, além de garantir maior credibilidade e mobilidade nas transações feitas pelos consumidores.

Também, o código de benefício fiscal é mais um ponto interessante da NFC-e 4.0. Ele será considerado conforme a necessidade e as particularidades de cada estado, como isenção, redução de base de cálculo, crédito presumido, entre outros, e deverá ser o mesmo informado na EFD ICMS/IPI. Adicionalmente, temos ainda o grupo indicador de presença que poderá ser preenchido nas hipóteses de operação presencia/fora do estabelecimento. E com relação aos medicamentos controlados pela Anvisa, a nota deverá ser preenchida na circulação dos produtos, de acordo com os respectivos códigos da Agência.

Por fim, mais uma transformação tecnológica pela qual o varejo está passando, resultando numa melhor experiência de consumo e conveniência para aos consumidores, assim como maior controle e segurança para os Varejistas além do combate à evasão fiscal.

*Fábio Xavier é Diretor de Suporte ao Cliente Linx


 


Carreira
Ingram Micro distribuirá R$ 1 milhão para desenvolvedores de software no Brasil

Brasileiros vão participar da etapa local do concurso global, Comet Competition, voltado para identificar desenvolvedores de software B2B. Inscrições já estão abertas. Grande vencedor global dad disputa poderá receber US$ 1 milhão.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G