NEGÓCIOS

TI, com big data e analytics, impulsiona TICs no Brasil

Por Roberta Prescott* ... 31/01/2018 ... Convergência Digital

Se, por um lado, o ano de 2017 foi difícil para as empresas, por outro, a crise fez as corporações brasileiras avaliarem suas operações e a se reinventarem abrindo oportunidade para darem o primeiro passo na jornada da transformação digital, destacou Denis Arcieri, diretor-geral da IDC Brasil, ao começar coletiva de imprensa da consultoria, realizada nesta terça-feira, 30/01.

“A crise ajudou a acelerar a transformação digital no Brasil e acreditamos que esta tendência será ainda mais latente nos próximos anos”, afirmou Arcieri, explicando que um dos indicadores disto é o fato de as empresas estarem buscando e colocando gente no alto comando com perfil de tecnologia.

A consultoria prevê crescimento de 2,2% para o mercado de TICs em 2018, sendo um avanço de 5,8% para TI, com retomada já no primeiro semestre, e praticamente estável (queda de 0,1%) para telecom. Segundo a consultoria, apesar das incertezas nas eleições presidenciais, os players do ecossistema estão otimistas com relação aos investimentos no mercado de TIC.

Entre as tendências apresentadas para o mercado de TIC para 2018, nenhuma novidade. Haverá, sim, uma consolidação de tecnologias e conceitos que o mercado já vem falando há algum tempo. A transformação digital é o maior exemplo disto, com a IDC ressaltando que ela continua em uma curva crescente em todo o mundo e que haverá consequências para organizações que não passarem pela mudança.

Ainda neste contexto, a IDC apontou que a transformação digital está no foco de fabricantes de tablets e smartphones para prover estes dispositivos para o mercado corporativo. A IDC observou que os grandes fabricantes estão se estruturando para melhor atender ao B2B, como uma alternativa frente ao baixo crescimento em outros públicos, para driblar a crise e a baixa no B2C, uma vez que o mercado para consumidor final atinge sua maturidade.

Diante disto, a IDC projeta que o mercado corporativo demande 3,5 milhões de tablets e smartphones em 2018, um crescimento em unidades de cerca de 30% em relação a 2017, passando a responder por 6% do volume total de vendas destes dispositivos no Brasil. Em valor, soma um pouco mais de USD 1 bilhão.

Ainda ligado à transformação digital, a IDC enfatizou que devem estar entre as prioridades das empresas investimentos em big data e soluções de análise (BDA, sigla para big data/analytics). Para Luciano Ramos, gerente de pesquisa e consultoria de software e serviços da IDC Brasil, BDA amadureceu e está voltando a ter apelo junto às companhias, até porque as organizações estão buscando um propósito para aplicações mais efetivas de big data analytics.

Neste cenário, a contratação de serviços de consultoria se destaca, com projeção de crescer 18% em relação a 2017. “As empresas querem entender como encaixas as peças e como as tecnologias podem ser aplicadas ”, disse Ramos. Os gastos totais com BDA, incluindo infraestrutura, software e serviços vão atingir USD 3,2 bilhões.

As aplicações de computação cognitiva também tendem a crescer, principalmente, as voltadas para saúde e segurança da informação. Atualmente, saúde é a segunda maior vertical em gastos com computação cognitiva e inteligência artificial na América Latina, ficando atrás apenas do setor de finanças. Entre as funcionalidades e casos de uso em alta, a IDC destaca o atendimento robotizado aos clientes, sistemas de diagnóstico e tratamento e análise de fraudes e investigação.

Por enquanto, porém, os investimentos são discretos, ficando perto dos US$ 200 milhões na América Latina. No Brasil, o crescimento deve ficar acima de 50% em relação ao ano anterior. A tendência é que outras verticais invistam no uso da inteligência artificial para atendimento e engajamento de clientes, funcionalidades que têm sido exploradas e representam os casos mais emblemáticos atualmente no Brasil, como sistemas de diagnóstico e tratamento e análises de fraudes e investigação. Segundo Ramos, o momento ainda é das empresas entenderem a tecnologia para começar a explorá-la. O desafio, reforçou o analista da IDC, é saber como fazer acontecer e replicar modelos e casos de uso de sucesso.


Recrutadores e a dura tarefa de contratar cientistas de dados

O maior gargalo é encontrar profissionais adequados às demandas das empresas e o Brasil, hoje, é um exportador de talentos para outros países.

Cenário ainda é nebuloso, mas aumenta a confiança na indústria eletroeletrônica

Após quatro quedas consecutivas, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico, aumentou 9,3 pontos no mês de junho em relação a maio, mas ainda fica abaixo dos 50 pontos, indicando o receito das empresas com relação ao impacto da Covid-19.

Bradesco: Open Banking tem regulamentação agressiva e será uma agenda de ataque

O conselheiro do banco, Maurício Minas, diz que os grandes bancos vão adotar técnicas de defesa frente à concorrência, sem deixar de partir ao ataque. "Nós temos funding, balanço e credibilidade", salientou. Bradesco promete o uso massivo das nuvens híbridas.

Câmbio pressiona componentes e repasse vai chegar ao consumidor

Em sondagem realizada pela Abinee,  69% das empresas reportaram "pressões acima do normal".  O custo do frete também impacta os preços em tempo de redução de produção por conta da Covid-19.

Banco Bari e Paraná Banco unem transformação digital ao Open Banking

O Pari, nascido 100% digital, e o Paraná Banco, com 40 anos de atividades, identificam no Open Banking a oportunidade de avançar e consolidar linhas de serviços.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G