Home - Convergência Digital

Indústria pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 12/12/2018

O desbloqueio do espectro para a indústria móvel oferecer serviços 5G poderia adicionar US$ 565 bilhões ao PIB mundial de 2020 a 2034, de acordo com um novo relatório lançado nesta quarta-feira, 12/12, pela GSMA. A entidade observa que a nova tecnologia móvel vai melhorar o acesso à assistência médica, educação e mobilidade, reduzindo a poluição e aumentando a segurança. No entanto, sustenta a GSMA, estes resultados dependem do apoio do governo para a identificação de espectro suficiente em ondas milimétricas (mmWave) para a indústria móvel na próxima Conferência Mundial de Radiocomunicações da UII em 2019 (CMR-19).

O relatório "Benefícios socioeconômicos dos serviços 5G fornecidos em mmWave" é o primeiro a examinar e quantificar o impacto das ondas milimétricas na contribuição geral das redes 5G para a sociedade. O espectro em mmWave terá os serviços 5G de maior capacidade. Ele possui as características ideais para suportar taxas de transferência de dados muito altas e recursos ultraconfiáveis de baixa latência, que suportarão novos casos de uso e proporcionarão as vantagens do 5G a consumidores e empresas do mundo inteiro.

"O ecossistema móvel global sabe como fazer o espectro funcionar para oferecer um futuro melhor", disse Brett Tarnutzer, Diretor de Espectro da GSMA. Segundo ainda o executivo, mais de 5 bilhões de pessoas já contam com o ecossistema móvel para fornecer serviços que são essenciais para seu dia a dia e fundamentais para a sustentabilidade econômica das comunidades onde vivem. "O 5G pode oferecer mais benefícios e uma nova gama de serviços para ainda mais pessoas, mas isso não será possível sem o acesso a este espectro vital", completou.

Novas possibilidades para os consumidores e a indústria

O 5G mmWave não só fornecerá aos consumidores serviços de banda larga móvel ultrarrápidos, incluindo entretenimento imersivo, como também estimulará uma série de aplicativos que permitirão que cidadãos e empresas façam amanhã o que não podem fazer hoje. Essas inovações incluirão serviços remotos aprimorados de educação e saúde, automação industrial, realidade virtual e aumentada e muitas outras.

Na área da saúde, a telemedicina melhorada - incluindo recursos táteis de internet, medicina preventiva usando sensores remotos e wearables sempre ativos, cirurgia remota e instrumentos "inteligentes" - só será possível graças às capacidades de velocidade e latência permitidas pelo espectro em mmWave.

Robôs da próxima geração, manipulação remota de objetos (controle de máquinas com precisão à distância), drones e outras aplicações de controle em tempo real em centros industriais digitalizados deverão aumentar a eficiência, reduzir custos e melhorar a segurança, além de levar a inovação para produtos e processos.

No transporte autônomo, o 5G mmWave permitirá que veículos sem condutor se comuniquem entre eles, com a nuvem e o ambiente físico continuamente para criar redes de transporte público altamente eficientes. Espera-se que esses e muitos outros casos de uso inovadores forneçam 25% do valor total criado pela 5G no futuro.

Crescimento global a partir de mmWave

A liderança inicial já estabelecida em 5G nas regiões da Ásia-Pacífico e Américas deverá gerar a maior parcela do PIB atribuída ao 5G em mmWave, em US$ 212 bilhões e US$ 190 bilhões, respectivamente. Prevê-se que a Europa tenha a maior percentagem de crescimento do PIB atribuível a mmWave que qualquer outra região, com 2,9%.

No entanto, as vantagens não se restringem a mercados móveis de adoção precoce e, como o resto do mundo deverá implementar 5G nos anos subsequentes, as economias de escala derivadas da harmonização de espectro estimularão um crescimento ainda mais rápido. Regiões como a África subsaariana, a Ásia Central e a América Latina e Caribe poderiam ver um crescimento da contribuição do PIB das aplicações do 5G em mmWave de mais de 65% ao ano, de 2026 até 2034.

"É fundamental que os governos reconheçam a importância dos aspectos do 5G em mmWave ao tomar decisões na próxima CMR-19. Tomar decisões certas agora sobre espectro para 5G será vital para estimular o rápido crescimento das economias, especialmente nos mercados em desenvolvimento, na próxima década", acrescentou Brett Tarnutzer, da GSMA. "Somente o espectro em mmWave tem a capacidade de suportar os serviços inovadores esperados e de alto desempenho do 5G, e apenas o ecossistema móvel possui o conhecimento técnico e histórico em colaboração para fornecê-los a um preço aceitável para consumidores e empresas no mundo todo."

As novas faixas em mmWave para dispositivos móveis estão sendo discutidas na CMR-19 e a GSMA recomenda o apoio às faixas de 26 GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para os serviços móveis. A harmonização global dessas faixas na CMR-19 criará as maiores economias de escala e tornará a banda larga mais acessível em todo o mundo. Fora do processo da CMR-19, 28 GHz também está emergindo como uma importante faixa em mmWave para tornar realidade a visão de velocidade ultra-alta para 5G. Serviços comerciais que usam essa faixa já foram lançados nos EUA e também serão adotados para 5G em países como Coreia do Sul, Japão, Índia e Canadá.

O relatório "Benefícios socioeconômicos dos serviços 5G fornecidos em ondas milimétricas", que inclui detalhes sobre casos de uso do 5G, valor e contribuição do PIB por setor e geografia, pode ser encontrado aqui.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/03/2019
Anatel incluiu a faixa de 26GHz no leilão do 5G

07/03/2019
5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

07/03/2019
Preço alto e falta de celulares levam Coreia a adiar lançamento do 5G

01/03/2019
Korea Telecom: 5G reconstrói os negócios com o mercado B2B

01/03/2019
Mais que frequência, 5G exige muita fibra e muita nuvem

27/02/2019
5G em faixa milimétrica trará pelo menos R$ 37 bilhões ao Brasil até 2024

27/02/2019
Anatel agenda leilão do 5G para março de 2020

26/02/2019
Inglaterra testa transmissão de rádio ao vivo por 5G

20/02/2019
TIM quer leilão 5G o quanto antes e rede legada única para o 2G

20/02/2019
‘Horário nobre’ derruba velocidade da internet móvel pela metade no Brasil

Destaques
Destaques

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

O ecossistema 5G está em ebulição e demandará muita mão de obra, afirma o diretor da Huawei, Carlos Roseiro. Segundo ele, vão surgir aplicações, muitas ainda inimagináveis, nos próximos seis anos. "O 5G começa hoje. A frequência virá para dar mais capacidade", observa o especialista.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site