INCLUSÃO DIGITAL

Anatel quer saber se há interesse em investir em satélites no Brasil

Convergência Digital ... 20/08/2019 ... Convergência Digital

A Anatel abriu duas consultas públicas, uma sobre interessados em posiçoes orbitais para satélites brasileiros e a outra sobre exposição a campos radioeletricos.  A Consulta nº 45 tem por finalidade coletar informações do mercado e do público a respeito da existência de exploradoras de satélites e verificar a existência de interesse para o provimento ininterrupto da capacidade satelital por 5 anos, a partir de 1º de janeiro de 2021. O objetivo é a ocupação da posição de quatro satélites brasileiros, cujo prazo final do  direito de exploração orbital termina em dezembro de 2020. Ela recebe contribuições até 7 de setembro.

Já Consulta nº 42 é sobre a proposta de alteração da avaliação da exposição humana a campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos associados à operação de estações transmissoras de radiocomunicação, propõe alteração do art. 8º do Ato nº 458 e a modificação da data de entrada em vigor do Ato n º 3388, alterado para o dia 30 de janeiro de 2019, com exceção do §2º do artigo 5º, que entrará em vigor no dia 30 de janeiro de 2020. Nesse caso, as propostas serão aceitas até 28 de agosto.

As sugestões fundamentadas e devidamente identificadas devem ser encaminhadas por meio de formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível no endereço na Internet http://sistemas.anatel.gov.br/sacp/. As manifestações recebidas pela Anatel permanecerão à disposição do público na biblioteca da Agência. 


Carreira
Empresa voltada à transformação digital abre 130 vagas

Posições em aberto na Compasso UOL são para desenvolvimento em Cognitive Services e Bots, Digital Commerce, IOT, Data Inteligence, RPA (Robotic Process Automation) e Cloud Computing.

MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G