NEGÓCIOS

Empresas de TI ameaçam abandonar Curitiba se o ISS não baixar para 2%

Convergência Digital* ... 05/04/2019 ... Convergência Digital

Pelo menos doze empresas de TI estudam sair de Curitiba caso não haja redução na alíquota de 5% do Imposto Sobre os Serviços (ISS) cobrado pela Prefeitura. A decisão foi anunciada pela Assespro-Paraná, entidade sem fins lucrativos que representa o setor de tecnologia e inovação no Estado, em reunião com a coordenação de projetos da Secretaria Municipal de Finanças.

Segundo o vice-presidente de Comunicação e Marketing da entidade e advogado tributarista, Lucas Ribeiro, a alta tributação dificulta novos investimentos e afeta a competitividade das empresas em nível nacional e internacional. Com a mudança, Curitiba perderia cerca de R$ 1 bilhão do faturamento dessas empresas.

“Temos em Curitiba empresas que são referência no Brasil e no Mundo. Seria uma perda muito grande se elas mudassem para outras cidades mais atrativas com relação aos impostos, como Joinville, Recife, Florianópolis ou Brasília, que têm 2% de alíquota para a área de TI. Esta última concentra hoje mais empresas de tecnologia do que Curitiba”, explicou Ribeiro. Expectativa da Assespro PR é que a prefeitura se posicione dentro de 30 dias.

O vice-presidente de Articulação Política da Assespro PR, Paulo Roberto Coimbra Manuel, afirmou que há o forte interesse das empresas de TI trabalharem fortemente no incentivo à formação de profissionais para atender a alta demanda do mercado por meio de cursos técnicos, mas advertiu que é preciso também oferecer condições igualitárias para que as empresas mantenham os investimentos em Curitiba. "Há cidades mais interessantes hoje para os empresários", sinalizou.

Estiveram presentes na reunião Mario Nakatani Junior, da Coordenadoria de Projetos da Informação da Prefeitura de Curitiba; Miriam Feueuharmel, auditora fiscal do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI); Paulo Roberto Coimbra de Manuel, vice-presidente de Articulação Política da Assespro-PR e sócio da SIGMA; Rodrigo Curi Gallego, vice-presidente de Qualidade, Planejamento e Controle da Assespro-PR e sócio da QLA; Lucas Ribeiro, vice-presidente de Comunicação e Marketing da Assespro-PR e sócio da ROIT Innovation; Paulo Raymundi CEO da Gestran e Rui Suzuki, proprietário da CentralServer, ambos da Diretoria da Subsecção de Curitiba e Região Metropolitana da Assespro-PR.

*Fonte: Assespro PR


Cloud Computing
Perda dos dados é o medo real dos gestores de segurança com a nuvem pública

Acessos não autorizados, interfaces inseguras, más configurações e hijacking de contas são as principais vulnerabilidades apontadas pelas companhias para não colocarem suas infraestruturas na nuvem pública, revela estudo global da Check Point.

Por mercado de BPO, Lumen IT compra Superabiz

Valor da transação não foi revelado pelas partes. Expectativa da fusão é simplificar o acesso às soluções de compliance fiscal, jurídico e para o SPED.

#RioéTech abre programação do Rio Info 2019

Evento, que chega em 2019 a sua décima sétima edição, já gerou R$ 250 milhões em negócios. Pré-eventos serão realizados em diversas cidades do Estado do Rio de Janeiro para aproximar empresas e Academia.

TI fica ainda mais estratégica na disrupção digital

“Onde existir um elo mais fraco pode haver uma disrupção grande e entrar uma fintech, uma startup”, lembra o vice-presidente de serviços financeiros da BRQ, José Antonio Afonso Pires.

Unisys: open banking só existirá com a LGPD implementada no Brasil

"Os dois são interligados porque a premissa maior é a segurança da informação", observa o vice-presidente e líder da Vertical de Serviços Financeiros para América Latina, Luís Rego. Decisão do Banco Central de postergar a consulta pública sobre o tema tem pontos positivos e negativos.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G