Home - Convergência Digital

5G será o último 'G', decreta Vodafone

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 06/06/2019

Prestes a lançar ofertas comerciais de 5G no Reino Unido, movimento marcado para 3 de julho, a Vodafone promoveu um encontro sobre o futuro das redes e o vice presidente de tecnologia da operadora, Scott Petty, disparou contra o que chama de mitos da nova tecnologia. 

“Um mito é a maior densidade, ou seja, a ideia de que é necessário instalar mais sites para 5G do que para 4G. Isso simplesmente não é verdade na forma como estamos desenvolvendo o 5G, com uso de bandas médias e baixas do espectro. É possível construir uma rede fantástica de 5G com o mesmo número de estações radio-base”, afirmou. 

Segundo Petty, essa relação está associada à pouca disponibilidade de espectro em bandas baixas e médias nos Estados Unidos, o que leva às operadoras americanas a depender muito mais das ondas milimétricas, que permitem maiores velocidades, mas não favorecem a cobertura. 

No mesmo encontro, o chefe da área de redes da operadora britânica, Andrea Dona, sugeriu que a passagem para o 5G será a última geração da telefonia móvel. “Estamos na vanguarda tecnológica, na ponta, e nem percebemos. É possível dizer que será o último G”, defendeu. 

Isso depende, insistiu, de como as operadoras aderirem à forma como a nova tecnologia foi concebida, sem apelar para atalhos para apresentar suas ofertas. Segundo ele, a indústria sempre foi monolítica no 2G, 3G e 4G, mas que o 5G é mais aberto e usa padrões que já nascem “para aceitar a existência de diferentes tecnologias”, como small cells e WiFi, o que faz a nova geração à prova de futuro. 

Os executivos disseram que o 5G da Vodafone será lançado após três anos de desenvolvimento e aportes de 2 bilhões de libras – cerca de R$ 10 bilhões. Entre os planos, a empresa pretende em no máximo três anos desligar a rede 3G. Mas adianta que o 2G será mantido, especialmente para conectividade para a internet das coisas. 

* Com informações da Mobile World Live

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/10/2019
Alemanha ignora pressão dos EUA e mantém Huawei no páreo para 5G

11/10/2019
TIM leva para as lojas a experimentação do 5G

10/10/2019
Algar Telecom faz testes comerciais com 5G em Uberlândia

10/10/2019
Edge computing é base para aplicações 5G

07/10/2019
Satélites x 5G: GSMA sobe o tom em defesa da nova geração nas ondas milimétricas

07/10/2019
Com OpenRAN, Intel quer abocanhar mercado 5G de Ericsson, Huawei e Nokia

04/10/2019
5G é usado para acelerar as vendas de smartphones

03/10/2019
Equipamentos Wi-Fi 6 estão fora do portfólio das teles nacionais

03/10/2019
Solução para interferência nas parabólicas adia proposta da Anatel para edital do 5G

01/10/2019
Sindisat reclama da 'fome' das operadoras por espectro para o 5G

Destaques
Destaques

5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Até lá, a tecnologia LTE segue com um crescimento considerável. Em junho foram 4,7 bilhões de conexões, ou 53% de todas as conexões celulares no mundo, revela a 5G Americas.

TVs defendem migração da banda C para Ku e calculam custo em R$ 2,9 bilhões

Abratel, que representa Record e Rede TV!, apresentou formalmente à Anatel uma proposta de migração das transmissões como forma de evitar a interferência do uso da faixa de 2,5 GHz nas antenas parabólicas.  

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site