Home - Convergência Digital

IoT celular é mercado avaliado em US$ 1 trilhão

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 16/07/2019

 Com alguns analistas prevendo 20 bilhões de coisas conectadas até 2020 em um mercado da Internet das Coisas avaliado em US$ 1 trilhão, a IoT em geral está alcançando a escala prevista para a "IoT massiva", uma referência às dezenas de bilhões de dispositivos, objetos e máquinas móveis, nômades ou fixos que exigem conectividade total, observa o relatório 5G: O Futuro da IoT, feito pela 5G Americas.

Com a migração para a tecnologia 5G, as redes móveis devem suportar os dispositivos mais simples que não se comunicam com frequência e que oferecem ultraeficiência energética a longo prazo, usando baterias com uma vida útil de 10 anos, ou mais. Além disso, a 3GPP define os padrões para rádio e para a arquitetura de Comunicações de Baixa Latência Ultraconfiáveis (Ultra-Reliable Low Latency Communications - URLLC) que serão fundamentais para setores como fábricas inteligentes e automação industrial.
 
"É cada vez mais importante entregar a IoT e garantir sua compatibilidade futura nessa transição de redes de 4G para 5G", reportou Vicki Livingston, Vice-Presidente de Comunicações da 5G Americas e uma das autoras do relatório. "As primeiras redes 5G já estão aparecendo agora em 2019. Ao mesmo tempo, a IoT LTE deve continuar evoluindo no futuro, aproveitando da escala, longevidade e cobertura global das redes LTE e complementando as primeiras implementações do 5G New Radio, focadas em banda larga móvel avançada e a IoT de alto desempenho. A evolução futura da LTE é essencial para a plataforma 5G - uma conectividade mais unificada e com mais capacidades para nosso futuro".
 
O relatório da 5G Americas destaca os padrões 3GPP que estavam em desenvolvimento até o Release 17 para atender às diversas necessidades da IoT e os segmentos de IoT Massiva e IoT Crítica. O relatório descreve o setor de automação de fábricas e os vários novos recursos que permitem a operação de sistemas 5G com Redes Sensíveis ao Tempo Time Sensitive Networking (TSN) da IEEE. O relatório também apresenta novas informações a respeito das opções de espectro para bandas licenciadas, não licenciadas e compartilhadas. Em resumo, os padrões 3GPP já garantem a compatibilidade da IoT com tecnologias do futuro e apoiam a entrega destes sistemas com a migração da 4G para 5G.
 
Cinquenta e seis redes no mundo ofereciam a LTE Banda Estreita IoT (Narrowband IoT - NB-IoT Cat-NB1) em junho. Esse é o padrão de rádio da 3GPP que determina as exigências de Baixo Poder Área Larga da IoT, melhorando a cobertura em ambientes internos, oferecendo suporte para um número massivo de dispositivos com baixa capacidade de transmissão, baixa sensibilidade a latência, custos ultra-baixos, consumo reduzido de energia e arquitetura de rede otimizada.

Além disso, 24 redes oferecem a LTE-M ou Comunicação Tipo Máquina avançada (enhanced Machine-Type Communications - eMTC Category M-1), com suporte para baixa complexidade do dispositivo, densidade massiva de conexões, consumo reduzido de energia, baixa latência e cobertura estendida enquanto permite a reutilização da base instalada de LTE (dados da TeleGeography).

A LTE-M e a NB-IoT podem ser implementados "em banda" dentro de um portador normal LTE, ou "independente" em uma faixa de espectro dedicado. A NB-IoT também pode ser implementada na banda de guarda do portador LTE.Já existe uma rota de desenvolvimento para as inovações tecnológicas da LTE além do Release 13, com avanços adicionais projetados para atender à grande demanda por conectividade IoT através das redes 5G.
 
"Soluções tecnológicas como a computação em nuvem, computação periférica e inteligência artificial estão sendo aplicadas em casos de uso da IoT com muito sucesso. Além disso, as tecnologias celulares da IoT incluem avanços na área de segurança para proteger todos os dados gerados por essas "coisas" contra hackers", disse Betsy Covell, Ilustre Membro da Equipe Técnica da Nokia e um dos líderes do grupo de trabalho que desenvolveu o relatório.

"Os especialistas da 3GPP estão enfrentando o desafio desse novo mercado de IoT, com vários avanços em 5G aproveitando da plataforma criada pela 4G, abordando vários indicadores-chave de desempenho como a latência reduzida, alta confiabilidade e precisão de posicionamento que são importantes para o uso da IoT na indústria, comércio e pelos consumidores". O relatório está disponível gratuitamente no site 5gamericas.org.
 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/02/2020
Conexão das coisas será quase a metade dos acessos à Internet no Brasil em 2023

14/02/2020
É urgente fazer software inteligentes para avançar Internet das Coisas no Brasil

10/02/2020
Bosch usa o Tinbot, robô brasileiro, para ampliar negócios em IoT

31/01/2020
Financiamento para IoT no BNDES recebe propostas até o dia 07

22/01/2020
Vivo chega a 10 milhões de dispositivos conectados à IoT

16/01/2020
Rede de IoT da American Tower atinge 220 cidades

07/01/2020
O carro será uma Internet das Coisas

18/12/2019
Fazendas da Atto Sementes contratam 4G e IoT da Vivo

18/12/2019
Qualcomm e BNDES lançam fundo para IoT já aderente à nova Lei de Informática

13/12/2019
TIM fecha acordo global com Nokia por IoT corporativa

Destaques
Destaques

5G exigirá uso de requisitos mínimos de Segurança Cibernética

Tecnologia é apontada como 'uma revolução na comunicação de dados, no potencial de emprego de equipamentos de Internet das Coisas e na prestação de novos e disruptivos serviços".

5G: Diretrizes genéricas deixam espaço para acordo entre teles e TVs

Portaria do MCTIC não detalha qual a solução para interferências, indicando somente “medidas de melhor eficiência técnica e econômica”. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site