TELECOM

TIM: TAC é o passivo mais rápido para aumentar investimento em redes

Ana Paula Lobo e Rafael Mariano ... 10/12/2018 ... Convergência Digital

A maior pendência para que a operadora assine o Termo de Ajustamento de Conduta com a Anatel está na definição final dos valores de referência para se estabelecer o montante final a ser investido em troca das multas. No caso da TIM, a projeção é de algo em torno de R$ 500 milhões. Equipamentos da TIM terão adaptação ao compartilhamento em ran sharing, sustentou o diretor de Assuntos Regulatórios, Carlos Franco, que participou nesta segunda-feira, 10/12, da 32º Seminário Internacional ABDTIC, na capital paulista.

Segundo Franco, o TAC da TIM está em estágio avançado e só não saiu por conta da intenção da Anatel de fechar primeiro os de maior volume - como o da Telefônica e da Oi, que acabaram não sendo celebrados por conta da ação direta do TCU. Ainda de acordo com o diretor regulatório da TIM, o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações também dá um norte para os investimentos em áreas carentes de infraestrutura. O especialista, no entanto, advertiu que os recursos são finitos e é necessário ter uma mínima coordenação para que se possa entregar o máximo para as localidades mais carentes.

"O TAC é um excelente passivo para ser revertido em algo benéfico à sociedade. Acreditamos muito que é possível fechar logo um acerto com a Anatel. Apostamos em assinar o TAC ainda no primeiro semestre de 2019", observou Franco. A expectativa anterior era para o mês de setembro, mas com a interferência do TCU, os processos foram postergados na agência reguladora.

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, Carlos Franco diz que a lista dos municípios a serem beneficiados pelo TAC da TIM já é de conhecimento da Anatel e que compartilhamento será condição obrigatória. "Nossos equipamentos estarão aptos para o ran sharing. É o nosso mantra". Assistam a entrevista.


Internet Móvel 3G 4G
Infobip e GSMA para oferecer proteção à identidade digital

Os serviços de identificação móvel por meio de SIMs vão gerar US$ 7 bilhões às operadoras em 2024, um impulso de 800% em relação a 2019, de acordo com a Juniper Research.

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G