Home - Convergência Digital

Inteligência Artificial e algoritmos: a base de um currículo perfeito

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 05/06/2019

Uma pesquisa feita pela Amcham Brasil (Câmara Americana de Comércio) aponta que aproximadamente metade das empresas brasileiras (51%) tem a intenção de aumentar o quadro de funcionários ao longo deste ano. E um recurso vem se tornando cada vez mais popular na hora da contratação: o uso de algoritmo e da inteligência artificial para selecionar os melhores currículos.

Ao Info Money, Lucas Mendes, o cofundador da Revelo, uma plataforma online que auxilia o recrutador a encontrar os profissionais mais adequados para a respectiva vaga com a ajuda de inteligência artificial, conta que o uso da tecnologia ampliou entre 5% e 10% o número de usuários que conseguem uma vaga de emprego.

“Nosso objetivo é procurar alinhamento entre o que o candidato tem como experiência, perfil, certificações e o que está em demanda”, diz. A ideia ao fazer essa seleção via algoritmo é agilizar uma etapa para a empresa. Mas de qualquer maneira o "divisor de águas" é o currículo. Por isso, Mendes compartilhou algumas dicas para que os profissionais possam montar um CV adequado e atrativo para serem selecionados pelo algoritmo. Confira:

1. Alinhamento

A principal dica é o alinhamento do que o profissional quer e do que ele coloca no CV. “Não adianta encaixar o redondo no quadrado. Não adianta estar pronto para um percurso profissional, se você tenta se candidatar para uma carreira diferente. O algoritmo rejeita esse tipo de inconsistência”, afirma.

Por isso, ao preencher a plataforma, o candidato deve informar suas pretensões de carreira e salários de acordo com a trajetória.

Para evitar esse tipo de problema, o profissional deve, entre as experiências que teve, ressaltar as mais relevantes para a vaga a que está pleiteando. 

2. Resultados

Além disso, é preciso deixar claro os resultados obtidos. “Sempre deixe bem explícito o que você alcançou na empresa durante o período que você ficou por lá”, diz.

Aqui você pode explicar com as próprias palavras quais foram seus feitos dentro da empresa, como agiu ou como gerenciou determinadas situações, como solucionou um problema ou superou um desafio.

3. Tamanho condizente

Segundo ele, ainda, é preciso desfazer um mito: o tamanho do CV. “Um currículo conciso não é prioridade [para o algoritmo]. As máquinas absorvem muito mais informações. Por isso, quanto mais detalhes e informações [sempre alinhadas à vaga] o documento tiver, melhor”, afirmou.

Ou seja, o profissional pode equilibrar um CV atrativo e alinhado com o que quer, se alongando mais nas suas experiências e nas suas habilidades - hard e soft skills.

4. LinkedIn completo

Ainda, o algoritmo da Revelo e de outras empresas que trabalham com inteligência artificial no recrutamento vasculham também o LinkedIn do candidato. Por isso, um perfil bem organizado chama mais a atenção.

“O LinkedIn funciona como infraestrutura de dados para todas as empresas de recrutamento. Aqui as regras são as mesmas do CV. Deixe as informações sobre cada experiência que teve bem explicadas e organizadas no perfil. Destaque certificações e outros tipos de diferenciais”, diz.

Mendes afirma que uma boa dica é sempre deixar “linkado” o nome da empresa que trabalha ou trabalhou ao seu respectivo site oficial. Dá mais credibilidade. “Por exemplo, se você trabalha no InfoMoney, garanta que o nome da empresa esteja conectado ao site. É muito mais fácil para o algoritmo puxar dados da empresa, por exemplo”.

5 -Eficiência

Para Mendes o principal valor da empresa é a eficiência na hora da entrega para os seus clientes que são as empresas que buscam profissionais. “O tempo médio de fechamento de vaga para carreiras difíceis como em finanças, tecnologia por meio de uma consultoria é de 70 dias. Nós entregamos em 14 dias”, afirma.

Segundo ele, a empresa faz isso empoderando o recrutador para focar no que realmente é importante e estratégico. "Então toda parte de análise de perfil e seleção de skills, a parte operacional, fica por nossa conta e a empresa foca no fit cultural e no que é essencial na entrevista presencial”.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/02/2020
Centros de Inteligência Artificial podem capturar R$ 1 milhão da FAPESP

05/02/2020
Softex seleciona projetos de inteligência artificial para aportes de R$ 250 mil

04/02/2020
Inteligência Artificial: ame ou odeie, ela mudou a regra do jogo

30/01/2020
99 investe em inteligência artificial no Brasil

28/01/2020
MCTIC prorroga consulta sobre inteligência artificial

17/01/2020
Europa pode banir por 5 anos reconhecimento facial

07/01/2020
Inteligência Artificial chega à grade do ensino técnico no País

17/12/2019
Inteligência Artificial tem de ser obrigatória no ‘vestibular’ japonês

12/12/2019
TIM contrata IBM e Capgemini e une nuvem e inteligência artificial

12/12/2019
MCTIC coloca estratégia para Inteligência Artificial em consulta pública

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

Faltam profissionais para cuidar dos ataques cibernéticos no Brasil

Ao publicar a Estratégia Nacional de Segurança da Informação, a e-ciber, o governo admite que o País possui poucos profissionais especializados em segurança cibernética; que há uma baixa conscientização dos usuários com relação ao tema e que é preciso urgente criar um programa nacional destinado à formação técnica nos órgãos do governo e nas empresas privadas.

TI e Internet lideram 13 dos 15 cargos profissionais em alta no Brasil

Levantamento feito pelo Linkedin mostra que gestor de redes sociais, engenheiro de cibersegurança, cientistas de dados e desenvolvedores seguem tendo alta demanda no mercado.

Déficit de mão de obra na América Latina será de 570 mil profissionais em 2020

Empresas da região vão investir nas tecnologias da terceira plataforma - cloud, analytics, Inteligência Artificial - e vão requisitar cada vez mais especialistas em programação e desenvolvimento, projeta estudo da IDC América Latina.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site