TELECOM

Anatel formaliza proposta para adotar licença única para serviços de telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/09/2018 ... Convergência Digital

A Anatel formalizou nesta quinta, 20/9, a proposta há muito discutida na agência de adoção de uma licença única para a prestação de serviços de telecomunicações. Ela vem em conjunto com outra mudança significativa, que dispensa a maioria dos equipamentos de licenciamento prévio pelo regulador.

Para tal são previstas alterações nos regulamentos de outorgas e de licenciamento, com as sugestões submetidas à consulta pública por 45 dias. Segundo resumiu o relator, Otávio Rodrigues, “o objetivo e ter um modelo mais simplificado, até para facilitar a entrada de novos agentes por meio da desburocratização de processos”.

O relator ressalta que não se trata de outra ideia que já esteve em voga na Anatel de unificação dos diferentes serviços de telecomunicações em um único. “Não estamos tratando de um único serviço, que continuaram distintos e regidos por seus respectivos regulamentos. Mas sim de um único procedimento de outorga”, afirmou Rodrigues.

As mudanças terão impacto para o futuro, elas não retroagem para as atuais outorgas, a não ser no momento das renovações. O tema foi organizado a partir de proposta da consultoria internacional contratada pela União Internacional de Telecomunicações para ajudar a Anatel. Segundo Rodrigues, a consultoria fez uma comparação de como outorga e licenciamento funcionam em outros países para sugerir as mudanças.

O texto que vai à consulta, assim, prevê um ato administrativo único que possibilitará a prestação de qualquer modalidade de serviço. A única restrição é que a eficácia da outorga para outras modalidades de serviço dependerá de prévia notificação à Anatel.

Adicionalmente, a ideia da agência é ampliar a dispensa do licenciamento de estações de radiação restrita ou que usem meios confinados. Ou seja, só licenciar aquelas que emitem radiação. Atualmente isso já vale para pequenos provedores, no caso do Serviço de Comunicação Multimídia, e para o Serviço Limitado Privado.

A ideia é dispensar a licença e adotar apenas o registro no Banco de Dados Técnicos e Administrativos da Anatel (BDTA). Mas ficam de fora dessa dispensa, no entanto, os equipamentos utilizados em serviços que precisam de recursos de numeração.

Parte dos ajustes propostos exigem mudanças legais, para além das alterações regulatórias. Por isso, a proposta inclui sugestões de projetos de lei – embora, segundo o relator, em razoável medida elas já sejam previstas no PLC 79, que trata da revisão do marco legal do setor.

Além disso, a dispensa de licenciamento pode gerar uma queda de R$ 2,7 bilhões na arrecadação da agência. Por isso, uma das propostas é que a área técnica apresente, em 120 dias, novas fórmulas para compensar a diferença.


Internet Móvel 3G 4G
5G vai responder por 4,8% do tráfego móvel em 2022

Estudo mostra que nos próximos cinco anos, a banda larga móvel cresceu 3,4 vezes mais rapidamente que a banda larga fixa. O 2G caminha pra a extinção e o 4G será a principal tecnologia no mercado.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Teles vão ao STF contra lei que obriga atendimento em 15 minutos

Nova ação direta de inconstitucionalidade argumenta competência federal sobre telecom para questionar a lei aprovada em São Paulo que dispõe sobre o tempo de espera nas lojas das operadoras.

EUA vai banir Huawei e sugere cortar parcerias com quem não imitar

Em visita ao leste europeu, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, diz que o uso de equipamentos de telecomunicações chineses “dificultam parcerias”.

Teles questionam no STF leis sobre cobrança e desbloqueio de celular

Em duas ADIs, empresas reclamam que leis do Rio de Janeiro invadiram a competência federal para tratar de telecomunicações.

Anatel reserva parte da faixa de 1,9 GHz da Claro para conexões via satélite

Ao analisar prorrogação do uso para telefonia fixa, agência reduziu prazo a cinco anos com vistas a mudar a destinação para o serviço móvel global por satélite.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G