SEGURANÇA

Microsoft apaga base de dados com 10 milhões de fotos usadas para treinar reconhecimento facial

Convergência Digital ... 07/06/2019 ... Convergência Digital

A Microsoft apagou uma base de dados com 10 milhões de fotos de 100 mil pessoas de todo o mundo que estaria sendo utilizada para treinar sistemas de reconhecimento facial. Trata-se da MS Celeb, desenvolvida em 2016 para ser um repositório de imagens de celebridades, mas esse é um conceito que se mostrou flexível. 

Segundo o pesquisador americano radicado em Berlim Adam Harvey, um dos responsáveis pelo projeto Megapixels, celebridades para essa base de dados podem ser “jornalistas, artistas, músicos, ativistas, criadores de políticas, escritores e acadêmicos”.  Ele também alerta que apesar do movimento da Microsoft, parte do material ainda pode ser acessado pelo Github.

Na prática o MS Celeb é a terceira base de dados de fotografias retiradas da internet – ou quase – a partir da divulgação de suas existências no Megapixels. Primeiro foram a ‘Brainwash’,  de um café na cidade de San Francisco, e a Duke MTMC [de Multi-Target, Multi-Camera], o sistema de câmeras de vigilância da Univesidade de Duke, em Durham, ambas nos Estados Unidos. 

O projeto Megapixels se propõe a investigar as implicações éticas e os efeitos sobre a privacidade individual de bancos de dados utilizados por sistemas de reconhecimento facial e como tudo isso alimenta o uso crescente de tecnologias de vigilância com uso de dados biométricos. 

As informações da Megapixels sobre a MS Celeb foram primeiro divulgadas pelo jornal britânico Financial Times e ganharam o mundo. Não por menos, a Microsoft tirou a página do ar, sem alarde. Assim como outras bases de dados – algumas identificadas pelo projeto, mas ainda ativas – esses repositórios alimentam sistemas de aprendizado de máquina em reconhecimento facial e foram usadas, pelo menos, por duas empresas SenseTime e Megvii. 


Globo afirma que ataque hacker não 'roubou' dados de usuários

Houve duas invasões ao sistema de notificações push da Globoplay e da GShow no final de semana. O ataque teria sido conduzido por um grupo hacker da Arábia Saúdita. Segundo a Globo, 'invasores se limitaram a enviar mensagens para toda a base'.

Consciência é a maior vacina contra os riscos cibernéticos

Em tempos de home office por conta do coronavírus, o gerente de segurança do CAIS/RNP, Edilson Lima, diz que cabe ao usuário redobrar seu cuidado. "Cada um tem de fazer sua parte", afirma.

Cibercrime usa Coronavírus para roubar dados pessoais no WhatsApp

Golpe oferece suposto kit gratuito com máscara e álcool gel - a ser dado pelo Governo Federal - para atrair as pessoas mais nervosas em relação à pandemia.

RNP terá programa para formar profissionais em Segurança Cibernética

O diretor da área na Rede Nacional de Pesquisa, Emilio Nakamura, assegura que a intenção é 'acelerar a formação de novos profissionais não apenas na Academia, mas também na inovação aberta'.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G