Home - Convergência Digital

Oi lança Joice, robô para atendimento aos clientes

Convergência Digital - 15/07/2019

A Oi lançaou a Joice, sistema de inteligência artificial criado para ajudar os clientes. Segundo a empresa, a IA faz parte da estratégia de transformação digital da empresa, de eficiência operacional e oferecer simplificação no relacionamento com os clientes. 

Segundo a Oi, a ‘Joice’ foi aprimorada nos últimos meses, e já alcançou a marca de de 1,5 milhão de atendimentos por mês. Ela está presente nos principais canais de atendimento da empresa – WhatsApp, área pré-logada do site Minha Oi, Facebook Messenger e Direct Message do Twitter. 

O robô assume algumas funções, como avisar ao cliente a data de vencimento da conta, fornecer código de barras para pagamento, enviar fatura por WhatsApp ou email, e ajudar nas necessidades de reparo remoto de internet, TV e telefone fixo, informando o cliente sobre visita técnica, deslocamento e  foto do técnico e identificação do seu trajeto. 

A Joice também já está no call center, atuando em demandas de reparo técnico e já atinge a marca de 100 mil chamadas mensais – totalizando 300 mil atendimentos até agora, dos quais 60% foram resolvidos sem a necessidade de o cliente falar com o call center. 

A solução utiliza o IBM Watson e será disponibilizada comercialmente para clientes corporativos, reforçando a atuação da Oi como provedora e integradora de soluções digitais para o setor de grandes empresas.

Segundo a Oi, um dos projetos de transformação visa a redução de chamadas através da digitalização do atendimento. Após levantamento das dores dos clientes, 62 iniciativas foram mapeadas e as seis que foram priorizadas já estão sendo executadas, com potencial de redução de custo de R$ 34 milhões em 12 meses. Além disso, o movimento de transformação digital permitiu que, no ano passado, 83% das transações no portal Minha Oi fossem solucionadas sem a necessidade do atendimento humano. 

De acordo com a empresa, com a digitalização houve  redução pela metade das chamadas ao call center por motivos relacionados à conta, 45% das solicitações de 2ª via foram enviadas pelos meios digitais e 65% das interações sobre assuntos de suporte técnico não precisaram ir para o atendimento humano. 

Segundo a Oi, já são mais de 12 milhões de transações por mês. A Oi registra desde 2017 uma redução de custos de R$ 3 bilhões e as iniciativas de digitalização contribuíram fortemente para esse resultado.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

26/06/2020
Oi Soluções une Wi-Fi ao big data &analyitcs

22/06/2020
Oi vende streaming com pagamento por cartão de crédito

22/06/2020
Brasil: é urgente formar profissionais em Inteligência Artificial

22/06/2020
Dataprev vai comprar Inteligência Artificial e exige uso da nuvem pública

19/06/2020
Agência de risco S&P reduz nota da Oi por novo plano de recuperação

17/06/2020
Piemonte Holding vai comprar os cinco data centers da Oi

16/06/2020
Oi: Atraso do novo marco de Telecom jogou ao menos R$ 3 bilhões no 'ralo'

16/06/2020
Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

16/06/2020
Claro/Embratel, TIM e Vivo estão fora do processo de venda da infraestrutura de rede da Oi

16/06/2020
Com 12 meses no vermelho, Oi prepara fatiamento e nova negociação com credores

Destaques
Destaques

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Regulamentação de IoT passa por tratar a coleta e a proteção dos dados

De acordo com a KPMG, será preciso ainda cuidar da avaliação de riscos, governança, gestão da configuração e gestão da cadeia de suprimentos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site