SEGURANÇA

Brasil só perde para os Estados Unidos em ataques ransomware

Convergência Digital* ... 24/09/2019 ... Convergência Digital

O Brasil só perde para os Estados Unidos em ameaças ransomware, concentrando 10,57% das ameaças globais, atrás apenas dos Estados Unidos, que representam 11,10%. Os outros países que compõem o Top 5 em número de ameaças ransomware são Índia, Vietnã e Turquia, revela estudo global feito pela Trend Micro, especializada em cibersegurança. O estudo informa que o total global de ransomwares detectados desde 2016 até junho de 2019 foi superior a 1,8 bilhão. Esse valor é calculado a partir da combinação de todas as ameaças de e-mail, arquivos e URLs relacionadas a ransomware.

"Os cibercriminosos criam táticas cada vez mais avançadas e furtivas de burlar os sistemas de segurança, principalmente quando o assunto é ransomware", comenta Franzvitor Fiorim, diretor técnico da Trend Micro. "Eles também se tornaram mais criteriosos com suas vítimas, escolhendo estrategicamente empresas que têm um alto desempenho financeiro e dados sensíveis, com o objetivo de maximizar o valor de resgate", adiciona o especialista.

Pelo relatório, o Brasil também tem destaque no ranking de ameaças disseminadas por e-mail, ocupando o terceiro lugar com mais de 1,1 bilhão de ameaças bloqueadas. Os Estados Unidos também são líderes nessa categoria, seguidos da China. "E-mails continuam sendo um grande vetor de ameaças pois com estratégias como a engenharia social é relativamente fácil enganar usuários desprevenidos. Para se proteger, é importante sempre conferir o remetente dos e-mails e clicar apenas em links e anexos que se tem certeza de que são legítimos", afirma Fiorim.

Outro dado que se destaca no relatório é a relação entre URLs maliciosas e vítimas afetadas - cada URL tem o potencial de atingir 14,5 usuários, segundo os números. Neste primeiro semestre, foram 5,5 milhões de acessos, colocando o Brasil na 16º posição do ranking de vítimas de endereços maliciosos bloqueados pela Trend Micro.

Malware detectados

Com mais de 6,1 milhões de malwares, o Brasil ficou no 11º lugar do ranking de países com o maior número ameaças detectadas. O país também está no top 20 em quantidade de malwaresbancários, com quase 3 mil ameaças detectadas. Em relação a aplicativos maliciosos, o Brasil também teve destaque, ocupando o Top 15 dessa categoria. Foram quase 3 milhões de apps disponíveis no país avaliados no primeiro semestre, e destes, mais de 22 mil eram maliciosos.

"Um tipo de ameaça que se tornou muito comum no âmbito de aplicativos é o adware. Ele se disfarça de um app comum, geralmente de câmera ou jogos, mas exibe propagandas que são difíceis ou impossíveis de fechar, além de usar técnicas para dificultar a remoção do aplicativo, como esconder seu ícone. Checar as avaliações dos aplicativos e o desenvolvedor são boas táticas de precaução e segurança", finaliza o diretor. Acesse aqui o estudo completo com os principais achados globais.


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Sistemas sem suporte rodam em mais de 40% dos PCs

Pesquisa da empresa de segurança Kaspersky diz que mais popular é Windows 7, que ficará sem suporte em três meses. Grandes, pequenas e microempresas continuam usando versões como XP ou Vista. 

Crimes cibernéticos: Brasil é passível de represália por não assinar Convenção de Budapeste

O consultor em Segurança Cibernética e professor da pós-graduação da Universidade UniCarioca, Guilherme Neves, adverte que o País está atrasado e erra ao não aderir à um tratado global de defesa cibernética.

TSE convoca profissionais de TI para testar segurança das urnas eletrônicas

Evento ocorrerá no período de 25 a 29 de novembro, na sede do TSE, em Brasília. Inscrições vão, agora, até o dia 22 de setembro.

Brasil perdeu mais de R$ 80 bilhões com ataques cibernéticos em 12 meses

O País, hoje, é o segundo do mundo onde ocorrem mais perdas econômicas por conta das ações dos hackers, revelou o coronetl Arthur Sabbat, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G