Home - Convergência Digital

5G será o último 'G', decreta Vodafone

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 06/06/2019

Prestes a lançar ofertas comerciais de 5G no Reino Unido, movimento marcado para 3 de julho, a Vodafone promoveu um encontro sobre o futuro das redes e o vice presidente de tecnologia da operadora, Scott Petty, disparou contra o que chama de mitos da nova tecnologia. 

“Um mito é a maior densidade, ou seja, a ideia de que é necessário instalar mais sites para 5G do que para 4G. Isso simplesmente não é verdade na forma como estamos desenvolvendo o 5G, com uso de bandas médias e baixas do espectro. É possível construir uma rede fantástica de 5G com o mesmo número de estações radio-base”, afirmou. 

Segundo Petty, essa relação está associada à pouca disponibilidade de espectro em bandas baixas e médias nos Estados Unidos, o que leva às operadoras americanas a depender muito mais das ondas milimétricas, que permitem maiores velocidades, mas não favorecem a cobertura. 

No mesmo encontro, o chefe da área de redes da operadora britânica, Andrea Dona, sugeriu que a passagem para o 5G será a última geração da telefonia móvel. “Estamos na vanguarda tecnológica, na ponta, e nem percebemos. É possível dizer que será o último G”, defendeu. 

Isso depende, insistiu, de como as operadoras aderirem à forma como a nova tecnologia foi concebida, sem apelar para atalhos para apresentar suas ofertas. Segundo ele, a indústria sempre foi monolítica no 2G, 3G e 4G, mas que o 5G é mais aberto e usa padrões que já nascem “para aceitar a existência de diferentes tecnologias”, como small cells e WiFi, o que faz a nova geração à prova de futuro. 

Os executivos disseram que o 5G da Vodafone será lançado após três anos de desenvolvimento e aportes de 2 bilhões de libras – cerca de R$ 10 bilhões. Entre os planos, a empresa pretende em no máximo três anos desligar a rede 3G. Mas adianta que o 2G será mantido, especialmente para conectividade para a internet das coisas. 

* Com informações da Mobile World Live

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/06/2019
Ericsson: adoção do 5G será ainda mais rápida do que foi a do 4G

10/06/2019
Tratores autonômos são a realidade do agronegócio com o 5G

07/06/2019
GSMA: Sem os chineses, custo do 5G na Europa vai crescer US$ 62 bilhões

06/06/2019
Bloqueada nos EUA, Huawei anuncia acordo com a Rússia para 5G

06/06/2019
5G será o último 'G', decreta Vodafone

03/06/2019
5G é trunfo da Amazon na sua disputa com a Microsoft

28/05/2019
Números da Coreia do Sul mostram que consumo de dados triplica com 5G

24/05/2019
Qualcomm: Banda milimétrica exigirá que cada operadora tenha de 400 Mhz a 800 Mhz

24/05/2019
Leilão 5G na Alemanha já supera 6 bilhões de euros

24/05/2019
Huawei: Brasil não está atrasado para o 5G

Destaques
Destaques

Para injetar R$ 200 bilhões na economia, IoT tem de ficar livre das amarras tributárias

Relator da proposta de tributo zero para Internet das Coisas, deputado Eduardo Cury, do PSDB/SP, disse que o setor precisa municiar o Parlamento com dados para convencer à Casa a conceder a desoneração.

5G exige muito espectro para entregar tudo que se espera da tecnologia

Anatel, indústria e teles sustentam que a nova onda tecnológica só vai atender as demandas esperadas se tiver frequência suficiente para melhorar os serviços.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site