Home - Convergência Digital

Acesso patrocinado abre novas receitas para teles

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 03/10/2018

Ao participar nesta quarta, 3/10, do seminário sobre ecossistemas digitais promovido pela Anatel, a diretora para a América Latina da Datami, empresa americana que intermedia acordos entre marcas e operadoras móveis, Mariana Oliveira, defendeu negócios de acesso patrocinado à internet como um segmento importante para novas formas de remuneração ao mercado de telecomunicações.

“Para a operadora é uma receita que ela não tinha antes, que vem do marketing da Unilever, do Santander, e isso é muito bom. É um novo orçamento. E ao mesmo tempo aumenta o engajamento da marca e aumenta a performance”, afirmou.

A Datami foi criada em 2013 nos EUA e chegou em 2016 no Brasil. Segundo a diretora para a América Latina, já conta com cerca de 30 empresas como Santander, Natura, Avon e Mercado Livre que usam a solução tecnológica da empresa ameriucana para o acesso patrocinado a sites na web – ou seja, sem desconto de dados na franquia dos usuários – em acordos com as operadoras móveis que atuam no Brasil.

“A navegação patrocinada é importante porque grande parte da população ainda tem pacotes pré-pagos. Cerca de 60% do mercado é pre-pago e outros 18% são planos controle. Ou seja, as pessoas não têm recursos para navegar o tempo inteiro. A demanda por dados é muito maior que a oferta existente. Então o dado patrocinado entra para cobrir essa lacuna”, defendeu a executiva no seminário da Anatel.

“Os bancos são um ótimo exemplo. O Bradesco foi o primeiro banco do mundo a usar dados patrocinados há quatro anos. É um acordo em que as operadoras vendem performance para o banco. O banco quer tirar esse usuário da agência bancaria, do call center, que têm custos maiores, para canais mais baratos e que também são mais convenientes para o usuário. As novas gerações não querem mais ir ao banco”, completou.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/02/2019
Teles trocam toda a base de pré-pagos a cada dois anos

08/02/2019
Em quatro anos, telefonia celular no Brasil perdeu um em cada cinco chips

30/01/2019
Programadores reforçam algoritmo nacional criado para ajudar vítimas de Brumadinho

28/01/2019
Quase 200 programadores criam algoritmo para localizar vítimas de Brumadinho

28/01/2019
Teles unem equipes e montam esquema de emergência para atender Brumadinho

24/01/2019
Bolsonaro: Servidores comissionados podem impor sigilo ultrassecreto a dados públicos

24/01/2019
Mourão transfere para o ex-presidente Temer a mudança na Lei de Informação

09/01/2019
Cobertura é prioridade 1 na escolha da operadora móvel

18/12/2018
Um em cada três brasileiros trocaria dados pessoais por descontos

14/12/2018
Clonagem de celular preocupa Anatel e operadoras

Destaques
Destaques

IDC: Empresas brasileiras fazem mais do que falam sobre Internet das Coisas

A indefinição regulatória pesa, assim como a tributária, mas muitas corporações estão colocando os seus projetos na rua, diz Pietro Delai, gerente de consultoria e pesquisa da consultoria. No Brasil, negócios de IoT devem movimentar US$ 9 bilhões em 2019, ou R$ 30 bilhões.

Projeto de inovação usa 4G em 450 Mhz para Internet das Coisas

Seis startups foram selecionadas para iniciativa Agro IoT Lab 2018, voltada para a transformação digital do agronegócio, da Vivo, Raízen e Ericsson.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site