Home - Convergência Digital

TST diz que curso pela internet vale em contagem de horas extras

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 17/05/2019

A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho deferiu a uma bancária de Caldas Novas-GO o pagamento como horas extras do tempo dedicado à realização de cursos pela internet durante os cinco anos em que trabalhou para o banco Bradesco. Conforme o entendimento do colegiado, os cursos serviam de critério de promoção na carreira e, por isso, o tempo despendido foi considerado à disposição do empregador.

Segundo a bancária, o Bradesco compelia os empregados a participar do chamado “Programa Treinet”, que oferecia cursos de interesse do banco. De acordo com as testemunhas, a participação no treinamento era obrigação contratual, e não mera faculdade.

O pedido de pagamento de horas extras foi deferido pelo juízo de primeiro grau em relação a quatro cursos mensais de 12 horas cada. Para o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO), no entanto, “não ficou robustamente comprovada a obrigatoriedade da realização de cursos”, pois algumas testemunhas afirmaram que eles eram obrigatórios, mas não informaram se havia alguma punição no caso de não realização. Para o Tribunal Regional, o fato de o empregador incentivar a participação nos cursos e utilizá-los como critério para promoção, por si só, não pressupõe obrigatoriedade.

No recurso de revista, a bancária sustentou que havia metas mensais de cursos “treinet” para os empregados. Segundo ela, o gerente-geral exigia e acompanhava a participação dos empregados e havia um mural para indicar quem tinha feito cursos. Argumentou ainda que a participação em treinamentos integra de forma efetiva o tempo de serviço e deve ser considerada como tempo à disposição do empregador.

O relator, ministro Augusto César Leite de Carvalho, assinalou que a circunstância de o banco incentivar a realização dos cursos e utilizá-los como critério para promoção demonstra a obrigatoriedade, ainda que implícita, da participação do empregado. “Por isso, o tempo respectivo deve ser considerado como de serviço efetivo, nos termos do artigo 4º da CLT”, concluiu. A decisão foi unânime.

* Do TST

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/06/2019
STJ: Provedor de internet tem obrigação de fornecer IP de usuário que invadiu e-mail

10/06/2019
Acesso à Internet reproduz desigualdade social e econômica no Brasil

07/06/2019
Microsoft apaga base de dados com 10 milhões de fotos usadas para treinar reconhecimento facial

03/06/2019
Avança proposta de acordo internacional para tributar gigantes da internet

22/05/2019
Prefeitura de Porto Alegre quer vender 1000 km de fibra óptica

21/05/2019
Dia 768k: redes podem sofrer apagão no fim de maio

20/05/2019
Brasil e sete países da América Latina reagem à perda do domínio .Amazon

20/05/2019
Disseminação de IA e reconhecimento facial são novos riscos à Internet

17/05/2019
TST diz que curso pela internet vale em contagem de horas extras

14/05/2019
Disney vai assumir controle total do Hulu para brigar com Netflix e Amazon

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Falta de mão de obra qualificada espanta investidores no Brasil

Mais de 50% dos jovens brasileiros podem ficar fora do mercado de trabalho por falta de qualificação e de habilidades digitais. A advertência foi feita por especialistas que debateram sobre educação e capacitação digital no Painel Telebrasil 2019.

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Raio-X do mercado de trabalho nos últimos 10 anos, feito pela Softex, mostra que o salário médio de R$ 6 mil.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site