Home - Convergência Digital

Vendas móveis já são 48% da receita do varejo no Brasil

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 14/03/2018

No Brasil, varejistas que investem em vendas via app e web mobile já têm 48% das transações online feitas em dispositivos móveis. Além disso, das compras realizadas pelo desktop, 22% das vendas são precedidas de um clique no ambiente móvel, revela o estudo Análise do E-commerce no Mundo, referente ao último trimestre de 2017, feito pela Criteo.

Segundo o relatório, na América Latina, os pedidos feitos via desktop ainda são maioria, com 52%, entretanto, as compras feitas pela web mobile já chegam a 29% e as finalizadas em aplicativos representam 19%. Considerando somente o ambiente móvel, os apps correspondem a 40% das transações. Globalmente, as vendas concluídas em aplicativos já  somam 46%, um aumento de 48% em relação ao ano anterior.

“Fica claro que agora já não basta apenas ter um site responsivo, os lojistas e marcas precisam ter estruturas mais elaboradas, como aplicativos para atender o consumidor no ambiente móvel. E isso sem deixar de lado os outros canais. A jornada de compras é complexa e envolve vários dispositivos e telas. O foco deve ser sempre o cliente. Tendo isso em mente, as chances de ser bem sucedido são enormes”, comenta Alessander Firmino, diretor geral da Criteo para o Brasil e América Latina. 

Veja abaixo mais detalhes do estudo:

A consolidação do mobile

No Brasil, a web mobile está consolidada e os smartphones seguem ganhando relevância quando o assunto são compras online. No último trimestre de 2017, houve um aumento de 51% nas transações realizadas através de celulares (apps excluídos) em relação ao mesmo período do ano anterior. Em compensação, os pedidos feitos via tablet tiveram queda de 43%, enquanto os feitos via desktop caíram 13%. As categorias mais vendidas no ambiente móvel, sem considerar transações feitas através de aplicativos, foram: Cultura/Mídia (38%), Saúde/Beleza (37%), Grandes Redes Varejistas (36%), Fashion/Luxo (34%), Produtos para o lar (34%) e Computação/Tecnologia (25%).

Apps de compra: uma tendência que só cresce

Revelando uma forte tendência global, o estudo constatou que na maior parte das regiões (que além da América Latina ainda incluem América do Norte, Europa, APAC-Ásia Pacífico, Oriente Médio e África), o mobile já responde por mais de 50% das transações online e as vendas por meio de apps lideram. Na América Latina, varejistas com aplicativos geram 48% das vendas em dispositivos mobile. Também na região, a taxa de conversão em apps é três vezes mais alta que na web mobile.

Onde e quando encontrar os consumidores?

As descobertas do relatório apontam para a necessidade de varejistas e marcas investirem em estratégias cross-device para engajar os consumidores. Segundo o levantamento, clientes identificados em diferentes dispositivos durante a jornada de compra gastam em média 17% a mais. O estudo também procurou entender em que momento os consumidores usam cada dispositivo. As compras feitas por desktop lideram durante o horário comercial, entre 9h e 18h. Já os dispositivos móveis são mais utilizados durante à noite e aos finais de semana. O relatório completo pode ser acessado aqui.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/03/2019
PayPal quer ter voz de comando no Mercado Livre

11/02/2019
Inseguro, brasileiro compra menos pela internet que demais latinos

22/01/2019
Amazon.com desembarca no Brasil para mexer com o comércio eletrônico

08/11/2018
Smartphones são o objeto de consumo na Black Friday brasileira

25/10/2018
Guerra das maquininhas: Stone capta quase R$ 5 bilhões em IPO na NASDAQ

24/10/2018
Celulares serão os campeões de venda na Black Friday

23/10/2018
Comércio eletrônico espera faturar R$ 2,87 bilhões na Black Friday

22/10/2018
Vendas de bens duráveis pela internet cresceu 10% em oito meses, diz GfK

02/10/2018
Quase 40% dos brasileiros desconfiam das promoções da Black Friday

13/09/2018
Smartphones serão principal instrumento para compras online

Destaques
Destaques

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

O ecossistema 5G está em ebulição e demandará muita mão de obra, afirma o diretor da Huawei, Carlos Roseiro. Segundo ele, vão surgir aplicações, muitas ainda inimagináveis, nos próximos seis anos. "O 5G começa hoje. A frequência virá para dar mais capacidade", observa o especialista.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site