Home - Convergência Digital

Networking: peça conselhos, não favores

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 01/02/2019

Manter o networking ativo é indispensável neste momento de crise e estagnação, adverte o headhunter na Trend Recruitment, Dalton Morishita. Segundo ele, muitos profissionais que ainda não entenderam a importância de dar atenção à rede de contatos. Morishita dá sete dicas para um profissional fazer uma boa rede de contatos:

#1 Entenda seu objetivo: Tudo começa com um plano de carreira, ou se preferir, um objetivo profissional. Quando você sabe onde quer chegar, fica muito mais fácil enxergar a trilha a ser percorrida. Fica mais simples encontrar contatos e conexões que façam sentido para o seu objetivo. O seu propósito irá te manter focado, além de ser um norteador das suas ações.

#2 Mantenha seu perfil atualizado: A tecnologia aproxima as pessoas. Se antes da revolução digital era preciso estar fisicamente presente para conhecer pessoas novas, hoje você está à distância de um click de qualquer pessoa do mundo. Utilize essa ferramenta como uma aliada. Manter o perfil profissional atualizado e ativo é uma forma de se conectar com novos contatos, manter-se próximo de pessoas que você já conhece, além de continuar se informando e atualizado sobre sua área de atuação. Estar ativo é mais do que deixar seu currículo em dia, mas também curtir e comentar as postagens, participar ativamente de debates relevantes pra você e seu setor, produzir conteúdo, criar conexões, entre outras tantas possibilidades.

#3 Aqueça a rede de dentro para fora: Comece contatando as pessoas próximas a você, expondo para elas o seu interesse profissional e o seu objetivo com o contato. A primeira camada da rede é composta por amigos, familiares, colegas, pessoas com quem você já trabalhou no passado. Eles precisam saber das suas movimentações uma vez que são essas pessoas que irão pulverizar seu nome por aí, a sua primeira camada também são as pessoas mais dispostas a te ajudar sem interesse. Sua segunda camada são as conexões mais impessoais, aquelas com quem você tem interesses em comum. Essas conexões serão ativadas por meio desses entusiasmos que são compartilhados. Um café, um almoço, um happy hour irão sempre estar em torno desses interesses e a conversa sobre a carreira surgirá naturalmente.

#4 Descubra maneiras não óbvias: Todo mundo sabe do networking que acontece entre colegas de trabalho, clientes, parceiros de negócios, colegas de faculdade e pós-graduação, mas poucas pessoas percebem que existem outras formas de aumentar a rede falando sobre assuntos que não estão ligados à carreira. Conecte-se com pessoas que tem os mesmos interesses que você, mesmo que não seja o mesmo interesse profissional. Os relacionamentos se constroem por meio da empatia, encontrando pessoas com as mesmas afinidades, é uma porta de entrada para iniciar uma conversa e assim manter-se em evidência. Eventos, grupos de prática esportiva, hobbies, cursos de música são algumas opções. Acredite, até um passeio no parque com seu cachorro pode virar uma troca profissional.

#5 Peça conselhos e não favores: Antes de ir para um encontro de networking pensando em se beneficiar dessa relação, tenha algo a oferecer, nem que seja novidades sobre a área que você atua ou informações sobre o mercado. Para isso, você precisa manter-se muito bem informado. Você precisa ser capaz de conversar sobre o que as empresas estão fazendo. Esses assuntos serão gatilhos para iniciar uma conversa e se manter interessante durante um bate papo. E quando surgir uma oportunidade, peça conselhos e não favores.

#6 Cultive o mindset do networking: Isso significa mais do que manter os radares atentos a qualquer oportunidade para uma troca de cartões. Crie o hábito de apresentar as pessoas umas para as outras. Seja uma ponte de contato e o conector que gera novos negócios e oportunidades. A chance de você ser lembrado por isso é muito grande e, nada melhor para o seu marketing pessoal do que ser reconhecido como um fomentador de negócios.

#7 Faça do networking um novo hábito desse ano novo: Por mais que você conheça a importância de esquentar a rede, quando você faz disso uma meta para o ano, fica muito mais fácil manter-se regrado nessa atividade, fazendo dela um hábito. Toda meta precisa de planejamento, indicadores e mensuração de resultados. Uma dica é se comprometer a um encontro de relacionamento pessoalmente a cada semana, 15 dias ou então uma vez por mês. Nesse sentido, a manutenção do seu perfil online, também pode receber uma meta. Plante sementes primeiro, acompanhe os resultados a longo prazo e tenha como indicador o seu comprometimento com a realização e cumprimento dessas tarefas.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/05/2019
Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

10/05/2019
Startup de Curitiba cria plataforma gratuita com mais de 77 cursos diferentes

06/05/2019
Quem são os novos CIOs, CDOs e CTOs na TI brasileira?

02/05/2019
São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul lideram a busca por profissionais de TI

18/04/2019
Ciência na Escola terá R$ 100 milhões para formar cientistas

12/04/2019
O profissional do futuro de TI é alguém que ninguém conhece

09/04/2019
TICs podem formar 1 milhão a cada quatro anos com recursos já existentes

01/04/2019
Inteligência emocional faz a diferença na escolha do profissional de TIC

01/04/2019
Brasil leva seis alunos de TICs para a semifinal mundial do Huawei ICT Competicion

08/03/2019
Igualdade de gênero é uma mentira. Mulheres vão levar 202 anos para ganhar igual aos homens

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

TI precisa de 420 mil novos profissionais até 2024

Formação de mão de obra, que já sofre para atender a demanda, vai ficar longe dos 70 mil novos empregos por ano. IoT, Big Data e segurança são áreas de maior demanda.

Salários em TICs são três vezes maiores que a média nacional

Em software e serviços, onde estão 75% das vagas das empresas de tecnologia da informação, remuneração média em 2018 foi de R$ 5 mil, contra R$ 1,8 mil do salário médio nacional.

TICs podem formar 1 milhão a cada quatro anos com recursos já existentes

Segundo o presidente da Contic, Edgar Serrano, atualização do marco legal de telecom e a criação do Sistema S das TICs são medidas de transformação digital sem impacto fiscal.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site