NEGÓCIOS

Metade dos PCs do mundo roda com software desatualizados

Convergência Digital* ... 01/02/2019 ... Convergência Digital

Cinquenta e cinco por cento dos aplicativos instalados em PCs no mundo estão desatualizados, tornando os dados dos usuários vulneráveis a ação dos cibercriminosos, revela o Relatório de Tendências de PC 2019 da Avasta. O estudo apura ainda que, dentre os aplicativos com atualizações negligenciadas com mais frequência, estão: Adobe Shockwave (96%), VLC Media Player (94%) e Skype (94%).

O relatório, que usa dados anônimos de 163 milhões de dispositivos de todo o mundo, também destacou que o Windows 10 está instalado em 40% dos PCs, aproximando-se rapidamente dos 43% do Windows 7. No entanto, 15% de todos os usuários do Windows 7 e 9% de todos os usuários do Windows 10, globalmente, estão executando versões antigas e não mais suportadas de seus produtos como, por exemplo, a versão do Windows 7 Release to Manufacturing de 2009 ou o Windows 10 Spring Creators Update do início de 2017. A execução de sistemas operacionais desatualizados coloca os usuários em risco de vulnerabilidades e de outros problemas significativos com relação à segurança.

"A maioria de nós substitui o smartphone regularmente, mas não podemos dizer o mesmo para os nossos computadores. Agora, que a idade média do PC está em torno dos seis anos, precisamos fazer mais para garantir que os nossos dispositivos não estejam com risco desnecessário", disse Ondrej Vlcek, presidente da Avast. "Com os cuidados certos para limpar o interior do hardware, utilizando produtos específicos para limpeza, otimização e segurança, os PCs estarão seguros e confiáveis por muito mais tempo".

O estudo também constata que os usuários estão optando, cada vez mais, por laptops, tablets e PCs 2-em-1 que executam Windows, uma vez que 67%  dos entrevistados estão escolhendo laptops e tablets para que possam trabalhar, navegar e enviar dados onde quer que estejam, e essa tendência provavelmente continuará em 2019. A mudança para os PCs móveis também se reflete na maioria dos aplicativos instalados. O Google Chrome subiu para o topo da lista em 2018, aumentando sua participação em instalações de 79% para 91% nos últimos 12 meses.

O Adobe Acrobat Reader (60%) é o segundo mais popular, seguido pelo WinRAR (48%), pelo Microsoft Office (45%) e pelo Mozilla Firefox (42%). Embora o quarto aplicativo mais usado no mundo seja o Microsoft Office, esse também é um dos mais desatualizados. Globalmente, 15% dos usuários ainda têm a versão Enterprise 2007 instalada, mesmo que a Microsoft não emita mais patches de segurança ou faça correções de bugs para esse produto.

O Relatório descreve ainda as marcas mais populares de PC, CPUs, tamanho de RAM e discos rígidos:

●  As cinco principais marcas de PC: as marcas de PC mais comuns no mundo todo são: HP, Acer, Asus, Lenovo e Dell.

●  A maioria das CPUs ainda é dual-core, com 74% funcionando com dois núcleos físicos, sendo que apenas 20% possuem um sistema quad-core.

●  RAM: o tamanho de RAM mais popular é de quatro GB, o qual é suficiente para a maioria dos aplicativos do dia-a-dia.

●  HDD vs. SSD: apenas 15% dos usuários possuem um SSD rápido, o restante dos usuários permanece com HDD ou com uma solução combinada de HDD/SSD.


Cloud Computing
Perda dos dados é o medo real dos gestores de segurança com a nuvem pública

Acessos não autorizados, interfaces inseguras, más configurações e hijacking de contas são as principais vulnerabilidades apontadas pelas companhias para não colocarem suas infraestruturas na nuvem pública, revela estudo global da Check Point.

Por mercado de BPO, Lumen IT compra Superabiz

Valor da transação não foi revelado pelas partes. Expectativa da fusão é simplificar o acesso às soluções de compliance fiscal, jurídico e para o SPED.

#RioéTech abre programação do Rio Info 2019

Evento, que chega em 2019 a sua décima sétima edição, já gerou R$ 250 milhões em negócios. Pré-eventos serão realizados em diversas cidades do Estado do Rio de Janeiro para aproximar empresas e Academia.

TI fica ainda mais estratégica na disrupção digital

“Onde existir um elo mais fraco pode haver uma disrupção grande e entrar uma fintech, uma startup”, lembra o vice-presidente de serviços financeiros da BRQ, José Antonio Afonso Pires.

Unisys: open banking só existirá com a LGPD implementada no Brasil

"Os dois são interligados porque a premissa maior é a segurança da informação", observa o vice-presidente e líder da Vertical de Serviços Financeiros para América Latina, Luís Rego. Decisão do Banco Central de postergar a consulta pública sobre o tema tem pontos positivos e negativos.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G