Home - Convergência Digital

Brasil despenca 12 posições em ranking mundial de proficiência em inglês

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 30/10/2018

O Brasil caiu do 41º para 53º lugar no ranking mundial do nível de conhecimento de inglês, mantendo-se no nível de baixa proficiência no idioma, de acordo com o levantamento da EF Education First, que avaliou 1,3 milhões de pessoas de 88 países. Pela quarta vez nesses oito anos de EF EPI, a Suécia ficou no topo do ranking, deixando a Holanda em segundo, seguida por Singapura, todas classificadas com proficiência muito alta. A Líbia obteve o pior resultado entre os países classificados com proficiência muito baixa.

“Nossa pesquisa mostra que países e indivíduos continuam a investir no ensino e aprendizado de inglês, reconhecendo a importância da linguagem como uma alavanca para a competitividade”, disse o Dr. Minh N. Tran, diretor sênior de pesquisa da EF. “Desde que a EF começou a publicar o EPI, este  ranking tornou-se o ponto de referência de fato para governos, empresas e educadores quando eles discutem habilidades em inglês”.

O vice-presidente de Relações Acadêmicas da EF na América Latina, Luciano Timm, destaca que a baixa proficiência em inglês no país é um entrave para o desenvolvimento e para a inovação, e assim um ponto estratégico para o novo governo que assumirá em janeiro de 2019. “O resultado é bastante preocupante. É o pior cenário desde 2012 e, agora, está mais claro que nunca que há boas práticas globais que são constantes do estudo e que podem ajudar muito o pais”.

A América Latina é a única região a mostrar um leve declínio geral na proficiência em inglês. As pontuações na região permanecem mais uniformes do que em qualquer outro lugar, com apenas uma pequena diferença entre os países com menor e maior proficiência. A Europa continua a ser o líder global na proficiência em inglês. Oito dos dez primeiros lugares do ranking são ocupados por países europeus.

A África mostra ganhos mais fortes em proficiência em inglês do que qualquer outra região, com a Argélia, o Egito e a África do Sul melhorando em dois ou mais pontos. Pela primeira vez, uma nação asiática (Singapura) fica entre os três primeiros colocados. No entanto, a Ásia continua a possuir uma grande divisão regional entre os países com maior e menor proficiência. As mulheres continuam a superar os homens em inglês no mundo todo, e essa diferença de gênero vem aumentando desde 2016. O relatório completo pode ser acessado em: www.ef.com.br/epi/

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/07/2019
Profissional do futuro é atento, curioso e despreza a zona de conforto

03/07/2019
Universidade da Áustria cria bolsas de estudo exclusivas para mulheres de TICs

02/07/2019
Cidade canadense caça talentos brasileiros de TI

28/06/2019
Tecnologia responde por quase 40% dos profissionais ligados à economia criativa

28/06/2019
Platzi e Facebook vão distribuir mil bolsas de estudo em programação

27/06/2019
Contic e CNI divergem na Câmara por criação do Sistema S das TICs

13/06/2019
Senai faz acordo com AWS para ensinar tecnologia a 2,5 milhões de alunos

10/06/2019
Plataforma gratuita CODE-IoT da Samsung qualifica mais de 50 mil pessoas no Brasil

16/05/2019
Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

10/05/2019
Startup de Curitiba cria plataforma gratuita com mais de 77 cursos diferentes

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Detox digital:"Empresas precisam descer do salto e entender as pessoas", diz executivo da BRQ

O chefe de Pensamento Exponencial da BRQ Digital Solutions, René de Paula Jr., defende que as pessoas precisam ficar offline. “As pessoas precisam sair das telinhas e viver."

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Banco Itaú monta estratégia para reter os melhores profissionais

O uso da metodologia Agile transformou o processo de negócios, e o desafio é conquistar e fidelizar os melhores especialistas, pontua o superintendente de Governança de Arquitetura, Processos e Práticas de TI do Itaú, Cecílio Cosac Fraguas.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site