TELECOM

Cade aprova acordo entre TIM e Porto Seguro sem restrições

Luís Osvaldo Grossmann ... 22/10/2018 ... Convergência Digital

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica publicou nesta segunda, 22/10, no Diário Oficial da União, a decisão de aprovar, sem restrições, o acordo para transferência de ativos da Porto Seguro Conecta para a TIM – em negociação que pode levar à migração de clientes da rede virtual da seguradora para a tele móvel.

A conclusão do Cade é de que não há necessidade de adoção de qualquer remédio concorrencial uma vez que as participações combinadas das duas empresas, tanto no mercado de telefonia móvel como de comunicação máquina-a-máquina (M2M), não alteram nenhum deles de forma significativa.

Segundo o Cade, a Tim detém 11,14% do mercado nacional de M2M, participação que passará para 13,94% com a eventual adição dos acessos da Porto Seguro Conecta. Já no mercado de Serviço Móvel Pessoal, avaliado com base nos números de 2017, a eventual migração dos clientes da seguradora deixaria a TIM com participação total de 25,03%, pouco acima dos 24,79% detidos então.

Como já indicara a Anatel, essa migração depende do interesse dos usuários. “Com a Operação poderá ocorrer a migração dos clientes do RRV-SMP da Conecta para a TIM, bem como a transferência dos ativos necessários à prestação dos serviços M2M da Conecta para a TIM. Ressalte-se que os clientes podem se negar à migração, optando por outras alternativas para contratar uma prestadora de SMP sem custos adicionais, conforme Resolução nº 460/2007 da Anatel que trata da implementação de portabilidade numérica no setor”, diz o Cade.

A Conecta presta serviço móvel por meio de rede virtual (telefonia móvel) nas cidades de São Paulo, Região Metropolitana de São Paulo, Santos, Campinas, Vale do Paraíba, Rio de Janeiro e Região Metropolitana do Rio de Janeiro,


Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 

Comissão aprova prazo de seis meses para instalação de bloqueador de celular em presídios

Relator do projeto retirou o dispositivo que condicionava as novas outorgas de telecomunicação à instalação, ao custeio e à manutenção dos bloqueadores pelas prestadoras.

Com Smart, Algar Telecom fica com 1.100 Km de rede própria em Pernambuco

Compra da Smart Telecomunicações foi concluída e empresa tem previsão de investir R4 78 milhões na região Nordeste nos próximos cinco anos.

Entidades rebatem Anatel e lançam carta contra o PLC 79/16, o projeto que muda telecom

Em contraponto à agência reguladora, entidades de defesa de consumidores e de direito à comunicação criticam o PLC 79/16, alegam que a proposta favorece a concentração e reduz o poder da União de exigir investimentos em banda larga. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G