Home - Convergência Digital

Contact center: restrições ao serviço devem eliminar 90 mil vagas

Convergência Digital - 12/07/2018

O setor de contact center deverá alcançar uma receita de R$ 13,6 bilhões em 2018, o que representará um aumento de 3,6% em relação a 2017, projeta estudo feito pela consultoria E-Consulting, para a Associação Brasileira de Telesserviços (ABT), que representa cerca de 80% das empresas terceirizadas especializadas em atendimento ao cliente no país.

O estudo mostra que o segmento apresentou crescimento real de 12% entre 2010 e 2015. Porém, a tendência foi interrompida há três anos com a combinação entre crise econômica e insegurança jurídica, que comprometeram as margens das empresas e, por consequência, a retomada dos investimentos. As margens, que giravam em torno de 3% ao ano até 2015, caíram nos anos posteriores e atualmente giram em torno de 1%. Esse cenário trouxe ainda um dos principais desafios para o setor: permanecer como um dos maiores geradores de empregos no país. Houve uma queda de 6% no número de trabalhadores de 2017 (412 mil) para 2018 (387 mil) nas associadas da ABT.

"O call center é um dos maiores empregadores do país e pretendemos manter esse posto. Porém, projetos legislativos que buscam diminuir os horários de ligações, além das decisões do governo federal sobre a reoneração da folha e a reforma do PIS/Cofins, trazem grande insegurança e vêm acompanhados de demissões. Essas incertezas justificam o crescimento tímido esperado para 2018", explicou Cassio Azevedo, presidente-executivo da ABT.

A entidade prevê, por exemplo, que 90 mil pessoas devem perder o emprego com a entrada em vigor da lei que limita os horários de ligações ao consumidor, sancionada no Rio de Janeiro. A ABT ressalta que o contact center já é regulado pelo Programa Brasileiro de Auto-Regulamentação do Setor de Relacionamento (Probare), que existe desde 2005 e define como devem ser feitos os contatos com o consumidor. O código de ética do Probare determina que os contatos ativos somente podem ser feitos de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados das 10h às 16h.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

06/07/2020
No Brasil, 60% dos atendimentos em call center são home office

02/04/2020
Governo autoriza suspensão de atendimento em call centers

01/04/2020
Vivo e TIM montam mega operação para alocar 100% do call center próprio em home office

23/03/2020
Sharecare adota solução Nuveto de contact center na nuvem

03/03/2020
STF reafirma terceirização irrestrita em ação da Contax

17/02/2020
ASC Brazil vende 20% do seu capital para a Algar Tech

12/12/2019
Justiça de Campinas obriga Tellemax e Claro a impedir assédio moral no call center

09/10/2019
TCU autoriza BB a retomar pregão de sistema eletrônico para call center

23/07/2019
‘Não Me Perturbe” encerra primeira semana com 1,5 milhão de adesões

22/07/2019
Procon de SP questiona Anatel por cadastro ‘Não Me Perturbe’

SAS Institute oferece 50% de desconto em julho em cursos voltados a análise de dados

Quer aprender a tirar o melhor proveito do seu dado? Aprenda como tirar insights para o seu negócio. Entre os cursos com desconto estão 'descomplicando os dados através de relatórios' e 'entendendo e tirando valor dos dados usando códigos SAS'

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site