Home - Convergência Digital

Oi terá 4,5G nas regiões Norte/Nordeste com reuso da faixa de 1.8 MHz

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 17/04/2018

As regiões Norte e Nordeste são prioridade da Oi para o reuso (refarming) da faixa de 1.8GHz para ampliar a cobertura do 4G e para começar a ofertar do 4,5G. Fortaleza, onde a Oi tem um market share de 53%, será a primeira capital nordestina a ter o 4,5G, já em julho. "O 4,5G melhora muito a performance do 4G, uma vez que boa parte das pessoas não tem o smartphone 4,5G", observa o diretor de produtos, mobilidade e conteúdo da Oi, Roberto Guenzburger, que participou da Convenção de Vendas da Oi, realizada nesta terça-feira, 18/04, em Campinas, São Paulo.

A cidade de Salvador, com área metropolitana, será a segunda cidade do Nordeste a ter o 4,5G ainda no segundo semestre. No total, serão 26 cidades com o reuso da frequência de 1.8MHz até o final do ano, entre elas, Natal, São Luiz, Palmas e Belém. Nessa etapa, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte ficam fora. A possibilidade de compartilhamento de frequência e de rede com outras operadoras, em especial, TIM, com quem a Oi já tem um acordo de compartilhamento no 2,5 GHz, e com a Vivo, estão em negociação.

A participação num futuro leilão da Anatel para a aquisição da sobra na faixa de 700 MHz também está na mira, mas depende do aumento de capital projetado para este ano, no mínimo R$ 4 bilhões, como estabelecido na aprovação da recuperação judicial. Os fornecedores do reuso de frequência são Nokia, Ericsson e Huawei.

"Estamos cientes que não temos o 700 MHz, mas temos uma grande capilaridade do 1.8 MHz que nos permite já atender 73% da população, nosso gap com relação à concorrência praticamente não existe. Na Região Nordeste, onde temos um market share considerável, essa migração será crucial para a melhoria da qualidade do serviço ao consumidor", completou o diretor comercial da Oi, Bernardo Winik.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/03/2019
Oi testa 5G na faixa de 3,5GHz em Búzios, no Rio de Janeiro

22/03/2019
4G já é a tecnologia de 4 bilhões de conexões móveis

22/03/2019
Oi quer licença da Anatel para investir em redes que União terá que indenizar

21/03/2019
Oi reforça portfólio para transformação digital da gestão pública

19/03/2019
Oi quer aumentar lojas por meio de franquias

19/03/2019
Velocidade de download 4G oscila em todas as teles no Brasil

15/03/2019
Oi faz campanha para consumidor escolher nome para chatbot de atendimento

14/03/2019
Oi tem vagas em sete estados para pessoas com deficiência

13/03/2019
América Latina avança no uso de redes 4G com capacidades acima de 1 Gbps

11/03/2019
4G da Oi leva Internet e comunicação à estação brasileira da Antártica

Destaques
Destaques

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

O ecossistema 5G está em ebulição e demandará muita mão de obra, afirma o diretor da Huawei, Carlos Roseiro. Segundo ele, vão surgir aplicações, muitas ainda inimagináveis, nos próximos seis anos. "O 5G começa hoje. A frequência virá para dar mais capacidade", observa o especialista.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site