Home - Convergência Digital

Leilão 2,5GHz: Sinditelebrasil exige acesso às planilhas da Anatel

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 02/02/2012

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) solicitou nesta quinta-feira, 02/02, durante audiência pública promovida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em São Paulo, que seja liberado, de imediato, o acesso às motivações e planilhas que fundamentaram a elaboração das regras do edital de licitação das licenças para a prestação dos serviços de quarta geração (4G) da telefonia móvel.

O SindiTelebrasil entende que essas informações são fundamentais para a avaliação da viabilidade econômico-financeira do projeto. E, por meio do diretor Sérgio Kern, a vinculação das faixas de 2,5GHz e 450 MHz, que segundo o SindiTelebrasil, possuem características e finalidades distintas.

“A tecnologia disponível para uso na sub-faixa de 450 MHz não é indicada para o caso brasileiro, pois não há sinergia com as demais tecnologias em operação, tem menor capacidade para transmissão de dados, pouca escala de produção e evolução incerta”, sustentou Kern.

O sindicato que representa as telefonias móveis e fixas reforçou ainda que é preciso estabelecer mecanismos para cobertura e atendimento de áreas rurais e remotas, com recursos públicos, especialmente os de fundos setoriais de telecomunicações.

“Entendemos que a universalização do acesso rural ao STFC é um problema histórico e complexo cuja solução envolve múltiplas plataformas tecnológicas. Parte da solução para o efetivo atendimento certamente, como demonstram experiências de nossas associadas e em âmbito internacional, deve vir de ações suportadas por fontes de financiamento pública e privada”, acrescentou o diretor do SindiTelebrasil.

E, mais uma vez, alertou para o risco de que o ritmo de expansão imposto para a oferta dos serviços de 4G (capacidade de dados) somado ao ritmo da oferta dos serviços 3G poderá tornar o serviço mais caro para o usuário, pois as prestadoras buscarão reduzir o desequilíbrio econômico-financeiro provocado pela superposição dessas duas ofertas.

Na visão ainda do sindicato das teles, a fixação de metas de cobertura do serviço 4G - na faixa de 2,5GHz - deverá acontecer apenas para a as cidades-sede e sub-sedes da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/12/2017
4G deve somar 200 milhões de conexões na América Latina até dezembro

06/12/2017
Com 4G, pós-pago avança, mas TIM, Claro e Oi sofrem com limpeza do pré-pago

06/12/2017
Teles projetam 100 milhões de 4G até o fim de 2017

05/12/2017
Migração total do 2G exige smartphones mais baratos

10/11/2017
Telebrasil: 4G chega a 3259 municípios e 3G a 5099 localidades

01/11/2017
Melhores 4G do mundo se estabilizam em 45 Mbps

06/10/2017
Rede 4G está presente em 3039 municípios do país

03/10/2017
4G cresce 47% em oito meses

19/09/2017
TIM vai fazer testes de 4G em 3,5 GHz

11/09/2017
4G mostra força diante da expectativa pelo 5G

Destaques
Destaques

Teles projetam 100 milhões de 4G até o fim de 2017

Em outubro, a conta é de que já existiam 95 milhões de acessos em 4G, contra 92 milhões de 3G. Expectativa é de que o LTE represente 80% dos acessos em 2018.

Migração total do 2G exige smartphones mais baratos

Para o Sinditelebrasil, preço dos aparelhos é barreira para os 36 milhões de usuários que ainda têm acessos GSM. Acessos 4G superaram os 3G em outubro.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Teles Tradicionais X Especializadas: o dilema para a IoT

Por Fábio Trindade

M2M e a Internet das Coisas são elementos centrais no debate das novas tecnologias que formarão o futuro em torno da 5G e continuarão em crescimento vertiginoso.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site