GOVERNO » Compras Governamentais

Compras governamentais: SLTI minimiza impacto na flexibilização da IN-4

Luiz Queiroz e Luis Oswaldo Grossmann ... 28/02/2012 ... Convergência Digital

O secretário de Logística e TI do Ministério do Planejamento, Delfino Natal de Souza, garante que as mudanças ocorridas na IN-4 - Instrução Normativa que rege o modelo de compras governamentais no país - afetam a um pequeno universo das compras de serviços de TI e, além disso, poderá ser revista em 12 meses, caso se verifique algum problema.

Segundo Delfino de Souza, a medida estava prejudicando os organismos federais dependentes dessas compras,uma vez que a burocracia acabava prejudicando a agilidade nas contratações. Entretanto, sobre a participação das empresas estatais, que também foram beneficiadas pelo afrouxamento das regras da IN-4, Delfino sustenta que o principal item da Instrução - que seria o controle e a definição estratégica daquilo que for comprado - não foi alterado.

A estratégia geral de TI foi mantida, segundo ele, e as empresas estatais não irão se valer da mudança para ganhar o mercado governanental das empresas privadas. CDTV gravou entrevista sobre o tema com o secretário de Logística do Ministério do Planejamento. Assistam:


Governo prepara lançamento do satélite da Telebras para o dia 21 de março

O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) embarcou em direção ao Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. O equipamento saiu da cidade francesa de Cannes, local onde foi construído pela empresa Thales Alenia.

Governo fará censo para definir quais serviços serão 100% digitalizados

Ideia é centralizar os serviços digitalizados em um único canal, o Portal de Serviços do Governo Federal. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações(MCTIC) não está na primeira fase da iniciativa.

Governo estuda fusão Serpro/Dataprev em três etapas

Pela proposta que está em debate no Ministério da Fazenda, duas etapas preliminares buscariam interligar a governança das estatais até que haja formalmente a fusão entre as duas maiores empresas públicas de TI.

Internet das coisas não deslancha com a cobrança do Fistel

“Esse é um serviço de escala, de volume. Algo que vai gerar, digamos R$ 1. Mas com um Fistel de R$ 8, não é possível”, afirma o presidente executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy.

Estado precisa fazer como bancos e tirar cidadão das filas

No 1º Seminário Governo Digital e o Setor de TI, setor público e privado discutem caminhos para a digitalização. “Hoje ninguém mais vai a uma agência bancária. Como os bancos, temos que tirar o cidadão da fila do INSS, do SUS”, diz a presidente do Serpro, Glória Guimarães. 



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G