INTERNET

PriceWaterhouse Coopers fará medição "oficial" da qualidade da Internet

Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz ... 28/02/2012 ... Convergência Digital

A Anatel anunciou nesta terça-feira, 28/02, que a consultoria PriceWaterhouse Coopers, com suporte técnico da britânica SamKnows, será a responsável pela medição “oficial” da qualidade da banda larga no Brasil, com base nos critérios definidos pela agência – e que entram em vigor a partir de 1º de novembro. O valor do contrato, no entanto, não foi revelado.

A empresa será contratada pelas teles para atuar como Entidade Aferidora de Qualidade. No ano passado, vale lembrar, a PWC também foi contratada pelas operadoras para apresentar um estudo sobre os parâmetros então propostos pela Anatel: e concluiu que tais critérios não tinham paralelo no planeta.

Por sinal, naquele mesmo evento, promovido pelo sindicato das operadoras, a SamKnows apresentou suas experiências em medições de qualidade das conexões na Inglaterra e nos Estados Unidos. Os executivos da empresa vieram para oferecer seus sistema como alternativa. Claramente tiveram sucesso.

Para chegar à empresa foi formado um grupo com representantes da Anatel e das teles. Foram apresentadas quatro propostas de medição: da ABR Telecom (que atualmente cuida da portabilidade numérica), ISPM, a própria PWC e o NIC.br, por sinal quem originalmente estabeleceu critérios de qualidade.

Segundo o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Bruno Ramos, venceu a proposta que melhor atendeu critérios de transparência, isonomia, neutralidade e controle interno e externo. Agora, a entidade tem até outubro para desenvolver o sistema de medição que será utilizado.

Enquanto isso, os provedores de acesso vão disponibilizar em seus sites um software de medição de velocidade, latência, perda de pacotes, etc. O escolhido foi o Speedtest, um velho conhecido dos internautas – e, na prática, qualquer um já pode testar o desempenho da conexão (www.speedtest.net).

Como se trata de uma escolha das empresas, a Anatel não soube explicar por que trocar o SIMET, desenvolvido pelo NIC.br, que já vinha sendo utilizado pela própria. Além disso, também descartou a necessidade de acesso ao código-fonte do programa escolhido. “É um software de mercado, de prateleira, não tratamos disso [código-fonte]”, explicou o superintendente Bruno Ramos.

Além disso, ficou a dúvida sobre como se dará efetivamente a medição da qualidade. Para fazer os testes nos EUA e Inglaterra, a SamKnows utilizou equipamentos que foram instalados nas casas dos voluntários – e desqualificou as medições por software.

Acontece que naqueles países, os órgãos reguladores, FCC e Ofcom, financiaram a operação. Por aqui, vale ressaltar que o regulamento de qualidade também prevê que não haverá custos para os usuários. Mas o modelo de negócio a ser implantado vai depender da adequação daquele sistema à realidade brasileira. A CDTV, do Convergência Digital, acompanhou a coletiva da Anatel sobre o tema. Veja o posicionamento do superintendente, Bruno Ramos.


2018: o ano para o Facebook apagar da sua história

Rede social admitiu que houve roubo de dados de 29 milhões de usuários na brecha de segurança descoberta no mês passado. De 15 milhões de usuários violados, foram roubados dois conjuntos de informações: nome e detalhes de contato, incluindo número de telefone, e-mail ou ambos, dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Brasil é o segundo país do mundo a ter portal do Cidadão do Facebook

Ferramenta, criada por conta das eleições nos EUA em 2016, permite a conexão entre eleitores e autoridades eleitas.

Teles seguem governo dos EUA e processam Califórnia contra neutralidade

Quatro associações de empresas do setor de telecom dos Estados Unidos ingressaram na Justiça para tentar bloquear a legislação estadual que retomou regras para a oferta de internet.

Brasil chega aos 4 milhões de endereços ‘.br’

Marca atingida neste 1º/10 inclui as mais de 120 categorias de domínios, sendo que o ‘com.br’ é o mais popular, com 3,6 milhões, ou 91% dos registros. Desse total, 1 milhão já são de registros no padrão mais seguro conhecido como DNSSEC.

Abranet: conceito de ‘pequeno’ da Anatel desconsidera realidade da Internet

Associação Brasileira de Internet adverte à agência que 68% do segmento tem no máximo 500 clientes. Só 158 empresas chegam a 5 mil acessos. "É um risco classificar todos da mesma maneira", sinaliza o representante da entidade, Edmundo Matarazzo.

Revista Abranet 25 . ago-set-out 2018
Veja a Revista Abranet nº 25 Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G