SEGURANÇA

Olimpíadas 2012: Redes sociais obrigam revisão de plano estratégico

Da redação ... 16/03/2012 ... Convergência Digital

Depois do importante papel que desempenharam em eventos recentes como a chamada Primavera Árabe, o movimento "Ocupe Wall Street" e os distúrbios em Londres em 2011, as redes sociais passaram a ser vistas como uma nova fonte de preocupação para a segurança das Olimpíadas de 2012.

A necessidade de o planejamento do evento levar em conta a velocidade da disseminação e troca de informações na internet foi ressaltada por diversos especialistas na 2ª Conferência Internacional em Segurança no Esporte, encerrada nessa quinta-feira , 15/03, em Doha, no Catar.

Depois das Olimpíadas de Pequim, onde a polêmica foi gerada não pelo excesso, mas sim pela falta de liberdade na internet, os Jogos de Londres são os primeiros a conviver com a nova força das redes sociais e das tecnologias digitais, diz o consultor de segurança do Comitê Olímpico Internacional (COI), Peter Ryan.

"De lá para cá, vimos um desenvolvimento enorme em tecnologias digitais e mídias sociais, e as forças de segurança precisam dominar essas novidades, saber administrá-las, usá-las e monitorá-las", diz Ryan. Brian Burridge, vice-presidente de Marketing Estratégico do grupo Finmeccanica, que desenvolve produtos de defesa e segurança, lembra que a indústria de segurança vem avançando "enormemente" no monitoramento de conteúdo pela internet nos últimos dois anos.

"Hoje, há sistemas que permitem obter uma amostra de tudo, e-mails, Facebook, Twitter, o que seja", acrescentou. "Estar a par ou de preferência à frente do lugar de onde o problema está vindo é um aspecto vital para a segurança". Presidente da Interpol, Khoo Boon Hui aponta as redes sociais como aliadas no combate ao crime. Como exemplo, ele cita o quebra-quebra ocorrido em Vancouver, no Canadá, após a derrota dos Canucks em uma final de hóquei sobre o gelo.

"A polícia estabeleceu um site interativo para identificar as pessoas envolvidas nos motins e recebeu milhares de informações. A colaboração com o público teve papel enorme na investigação. Uma lição que aprendemos recentemente foi o uso das redes sociais."

Fonte: Agência Brasil


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Brasil está no top 4 do ataque hacker a organizações de 31 países

Os atacantes usaram sites comprometidos ou "watering holes" para infectar alvos pré-selecionados com malware ainda desconhecido. No ranking, Polônia, Estados Unidos, México e Brasil estão à frente da atenção dos hackers.

Ex-assessor de Obama assume presidência da Cyber Threat Alliance

Michael Daniel, que comandou os rumos da política de segurança cibernética na Casa Branca durante o Governo Obama, será o primeiro presidente da entidade, em sua nova fase como organização sem fins lucrativos, e que reúne as grandes empresas de Tecnologia da Informação.

Hackers cobram por ransomware em contas piratas do Netflix

Credenciais roubadas estão sendo oferecidas como moeda de troca para outros cibercriminosos.Os bilhetes de resgate exigem um pagamento de US$ 100 de Bitcoins (0,18 BTC) da suas vítimas.

Corretora brasileira não paga 'resgate' e tem dados de clientes vazados

A XP Investimentos teve os dados de aproximadamente 29 mil clientes roubados e divulgados por hackers, que cobraram um resgate - não pago - pela devolução das informações. As informações são dos jornais Folha de S.Paulo e Valor Econômico.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G