INTERNET

Contrato da Price com teles, para medição da Internet, é de R$ 99 milhões

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/03/2012 ... Convergência Digital

A consultoria PriceWaterhouseCoopers, escolhida para ser a Entidade Aferidora da Qualidade da banda larga no país, vai receber R$ 99 milhões por um contrato – ou melhor, por um termo de compromisso – com as prestadoras para medir os indicadores de rede durante cinco anos.

O custeio dessa fiscalização pelas próprias fiscalizadas foi a principal crítica contra a Anatel durante audiência na comissão de Ciência e Tecnologia do Senado. “Não haveria questionamento se a Anatel contratasse o serviço”, insistiu o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Para o senador, os pagamentos à entidade aferidora deveriam ser feitos pela agência, que, segundo ele, teria de onde garantir os recursos. “A Anatel recolhe, pelo menos, R$ 2,5 bilhões por ano com o Fistel, apenas da telefonia móvel. E o próprio TCU indicou ‘leniência’ na cobrança de multas”, insistiu.

“Estamos acrescentando um custo a mais, que poderia ser financiado pela Anatel”, emendou o diretor-executivo do Sinditelebrasil, Eduardo Levy, animado com a sugestão do senador. “Gostaríamos de colaboração para que o Fistel, que na verdade recolhe R$ 4 bilhões por ano, pague a conta.”

No campo da legitimidade, porém, a Price sustentou ser natural que as empresas paguem, em uma analogia com os contratos de auditoria. “Muitas vezes somos pagos pelas empresas par dar más notícias. Fazemos isso há 100 anos”, afirmou Luiz Eduardo Viotti, sócio da consultoria.

A consultoria também defendeu a experiência acumulada no país e sustentou ter competência para atuar como aferidora. “Temos conhecimento do mercado brasileiro de telecomunicações, conhecemos projetos de grande porte e a regulamentação. E a SamKnows tem tecnologia testada em vários países”.

A SamKnows, também inglesa, é a parceira técnica da Price – ganhou notoriedade depois de ser escolhida para testes de banda larga pelo regulador da Inglaterra (Ofcom) e dos EUA (FCC). Segundo a Price, essa experiência de medições está sendo estendida a outros países europeus e o Canadá.

Software

A Price também reagiu às críticas de que o software escolhido para fazer a medição “informal” – o controle efetivo se dará com equipamentos nas redes – não atendia os requisitos do regulamento. Ainda na quinta-feira, 22/3, um novo programa já estava disponível, embora em versão beta.

O novo site para testes de velocidade é o www.brasilbandalarga.com.br, com links dispostos nas páginas das operadoras. Apesar de estar sendo aperfeiçoado, já é possível fazer o teste para resultados de velocidade, latência, jitter e perda de pacotes. Mas o histórico de testes ainda não está funcionando.


PL de Dados Pessoais tem de olhar para as pequenas e médias empresas

Equilíbrio deve ser a palavra-chave da legislação de forma a assegurar o desenvolvimento tecnológico. "Não temos só as grandes companhias", adverte Ciro Freitas, advogado da Pinheiro Neto.

Economia digital: 'Sem dados, regulamentação fica muito emocional'

A afirmação é do professor da FGV e ex-conselheiro e superintendente-geral do CADE, Carlos Ragazzo. Segundo ele, falta uma discussão estruturada sobre a regulamentação de novas tecnologias no país.

BRFibra: ISPs fazem o trabalho das operadoras, mas faltam backbones e sistemas DWDM

"Ter a fibra óptica no acesso não é tudo. Precisamos ter condições de distribuir as informações", observa o José Paulo Linné, presidente da BRFibra Telecomunicações.

Em 12 meses, internet fixa ganhou 1,5 milhão de novas conexões

A alta foi de 5,92% no período. Brasil tem 28,1 milhões de acessos ativos a internet fixa. Provedores Internet responderam por 66% dessas novas conexões.

PEC inclui acesso à Internet entre os direitos fundamentais

Medida, aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal, será analisada por uma Comissão Especial a ser criada. Irá ainda a Plenário para votação.

Revista Abranet 22 . set/nov 2017
Veja a Revista Abranet nº 22 Reforma trabalhista: impactos para os ISPs. Conheça o novo cenário e saiba o que muda para as empresas de Internet. E mais: Os robôs chegaram pra valer; A incerteza dos 450 MHz; TIC Educação: o papel dos provedores.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G