TELECOM

TV digital: Angola quer definir padrão ainda em 2012

Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz ... 23/03/2012 ... Convergência Digital

O governo de Angola voltou a sinalizar apreço pelo padrão nipo-brasileiro de TV Digital (ISDB-T) em reunião nesta sexta-feira, 23/3, entre o ministro das Comunicações Paulo Bernardo e o vice-ministro de Telecomunicações angolano, Aristides Safeca.

Apesar da torcida por essa “cabeça de ponte” no continente africano, não existe uma decisão tomada. E a posição do padrão europeu, DVB-T, é mais forte entre os países da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês).

Existe uma expectativa de que o Conselho de Ministros de Angola se posicione, ainda este ano, sobre o relatório técnico que indica a preferência pelo padrão nipo-brasileiro – e mesmo negociações preliminares para um eventual acordo de TV Digital entre os dois países. Mas a decisão final, lembra Safeca, é política.

“Fizemos um estudo dos dois sistemas, durante quase três anos, que resultou na recomendação técnica para que Angola escolha o ISDB-T. Mas a decisão técnica depende de uma decisão política que também leva em conta orçamento, estratégia e planos de negócios”, admitiu.

Como participou da assinatura do memorando de entendimento entre Telebras e Angola Cables para a construção de um cabo submarino entre os dois países, o vice-ministro destacou que essa conexão pode ajudar na escolha, devido ao potencial de geração de outros negócios.

“Esse memorando e a implantação da fibra [óptica] cria um grande potencial para Angola. A TV Digital requer produção audiovisual, no que Angola tem limitações, mas que pode criar facilidades uma vez que nossos países falam a mesma língua”, completou Safeca.


Eletrosul testa suporte por satélite com Telebras e Hughes

Com 11 mil km de linhas de transmissão, a empresa é responsável por aproximadamente 10% do sistema de transmissão do País. Piloto terá duração de 60 dias.

Rede fixa três vezes maior do que a das rivais será o futuro da Oi

O diretor de Tecnologia de Redes e Sistema da Oi, Pedro Falcão, sustentou que o backbone óptico e as redes metropolitanas são a 'joia da coroa' e despertam a ambição dos concorrentes. "A Internet de Tudo exigirá muita rede fixa", frisou.

Oi unifica mainframes para acelerar serviços digitais

Tele também montou o Centro de Gerência de Serviços, em Brasília, com a missão de unificar as ações em áreas como recarga de pré-pago e faturamento.

Sercomtel terá 90 dias para se defender da caducidade das outorgas

Novo presidente da operadora paranaense foi à Anatel pedir autorização para vender imóveis e gerar caixa, mas uma decisão depende do processo de extinção das licenças em curso, que pode levar 12 meses. 

Anatel nega cautelar para afastar fundo da Oi, mas vai apurar controle da Nextel

Para a agência, controle da tele não passa de hipótese e depende da conversão da dívida por ações como proposto pelo fundo. Em Nova York, Aurelius foi derrotado na tentativa de tirar a recuperação judicial do Brasil. 

Celulares piratas: Teles dizem que bloqueio estimula mercado de segunda mão

“Essa vacina tem consequências danosas. Vai dar a impressão de que não existem mais aparelhos ‘xing ling’ porque todos terão IMEI válido”, disparou o presidente-executivo do Sinditelebrasil, Eduardo Levy. 


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G