futurecom2015_home

Lavagem de dinheiro é risco no comércio eletrônico

Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos
22/03/2012 ... Convergência Digital

Em entrevista à CDTV, o presidente da Comissão dos Crimes de Alta Tecnologia da OAB, Coriolano Almeida Camargo, diz que é hora de evitar radicalizações e aprovar, ainda este ano, a Lei de crimes cibernéticos e o Marco Civil da Internet.

Camargo, que participou nesta quinta-feira, 21/03, de evento sobre Privacidade x Aplicativos Móveis, organizado pela Fecomércio, na capital paulista, lembra que o o momento é o de integrar o Marco Civil da Internet e a Lei de crimes cibernéticos à Constituição. "O modelo a ser replicado é o do Código da Defesa do Consumidor", diz.

O atraso na aprovação da Lei de crimes cibernéticos, critica, aconteceu em função de 'algumas vozes irresponsáveis que compararam a lei a um período crítico do país'. Camargo é taxativo ao falar sobre o tema: "Compararam o incomparável". E para o presidente da Comissão de Crimes de Alta Tecnologia da OAB, a discussão sobre privacidade é a prova que a Internet é um mundo sem fronteiras. Além disso, chama a responsabilidade dos donos das redes sociais.

"Precisamos saber o que o twitter acha, por exemplo, da questão da retirada dos twitters que alertam sobre a fiscalização da Lei Seca. Aqui no Brasil há essa discussão na Justiça. E o Twitter como se posiciona? Nos Estados Unidos, Google e Facebook são cobrados para falar de dados pessoais dos seus usuários. E aqui isso começa a acontecer", avalia Camargo, ao ser indagado sobre a convocação dos dirigentes das redes sociais para comparecerem à Câmara para discutir política de privacidade.

Sobre o comércio eletrônico, Camargo diz que 'as associações de e-commerce precisam denunciar os maus usuários da rede', admite que a Fazenda começou um monitoramento mais rigoroso com relação aos portais virtuais e diz que a guerra fiscal travada pelos estados no ICMS é, sim, hoje inconstitucional.

Assista a entrevista do presidente da Comissão dos Crimes de Alta Tecnologia da OAB, Coriolano Almeida Camargo, à CDTV, do Convergência Digital.


Carreira
Sobram empregos, mas jovens querem mais para atuar na cibersegurança

Estudo mostra que, até 2022, haverá 1,8 milhão de posições de trabalho em aberto no segmento, um incremento de 20% em relação a 2015.Mas os chamados Millennials não aparecem dispostos a atuar no gerenciamento. Eles querem mais.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G