SEGURANÇA

Cybercrime: Empresas brasileiras são reativas e falham na prevenção ao risco

Convergência Digital ... 27/03/2012 ... Convergência Digital

Os riscos de fraudes na segurança de computadores ou redes empresariais vêm crescendo consideravelmente no Brasil e no mundo. O que antes era apenas um ato de vandalismo, com a sofisticação das fraudes pela internet, tornou-se um crime que preocupa as empresas e governos por trazer prejuízos enormes. Estas são algumas das conclusões do estudo que a Deloitte está lançando, o “Risk Intelligent governance in the age of cyber threats”. O estudo aborda o diálogo crucial no aumento da segurança das redes empresariais.

O levantamento constata que os ataques cibernéticos podem prejudicar um negócio de várias formas, desde a simples vandalização do site, chegando até ao desligamento de redes ou fraudes e roubo de propriedade intelectual. O impacto financeiro pode ser significativo: segundo o estudo da Ponemon Institute, os prejuízos podem chegar a US$ 5,9 milhões por ano, o que representa um aumento de 56% nos últimos anos.

O estudo diz ainda que para evitar os danos dos ataques cibernéticos é fundamental estar informado sobre as principais ameaças e quais os potenciais impactos para a organização. Além disso, é importante colocar esse risco no mesmo grau de importância dos riscos tradicionais das empresas. Também é crucial, sustenta o levantamento, envolver os principais executivos da empresa no processo de gerenciamento dos riscos cibernéticos.

No Brasil, com exceção da indústria financeira, a preparação da empresas ainda é muito reativa, ou seja, apenas depois da ocorrência de um evento considerável é que começam a se preocupar com medidas para evitar maiores impactos no advento de outros ataques. “O Brasil precisa ficar atento aos cibercrimes. É preciso ter uma gestão de riscos adequada. O ideal é se antecipar aos possíveis ataques por meio do conhecimento de seus potenciais invasores e das formas como eles agem. As empresas precisam investir de forma mais eficiente em ferramentas, pessoas e processos”, completou André Gargaro, sócio da área de Gestão de Riscos Empresariais da Deloitte.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Corporações se unem contra ataques cibernéticos

Pelo acordo a ser assinado, grandes empresas de tecnologia prometem "proteção igualitária" a clientes contra o uso indevido de sua tecnologia. "Independente da nacionalidade, geografia ou motivação do ataque", asseguram. Entretanto, o comunicado do acordo não deixa claro quanto isso vai custar aos clientes.

NIC.br contrata plataforma para proteger centro de operações de ataques DDOs

Brasil foi o 5º país mais visado por esse tipo de ataque no ano passado. "Não se trata de ser ou não atacado. O ataque vai acontecer, o que precisa é estar preparado", diz o  Gerente de Sistemas do NIC.br, Marcelo Gardini.

Golpe de recarga grátis afeta mais de 20 mil pessoas em menos de 24 horas

Apenas no mês de abril, revela o laboratório especializado em cibercrime Dfnder Lab, foram bloqueados mais de 15 golpes diferentes envolvendo compartilhamento no WhatsApp.

Quadruplica o número de ataques DDoS originados por dispositivos IoT no Brasil

Foram mais de 220 mil reportados voluntariamente ao CERT.br no ano passado. Entidade diz ainda que parte dos ataques DDoS também foi originada por roteadores e modems de banda larga no Brasil, seja porque estavam comprometidos ou porque possuíam serviços mal configurados, permitindo amplificação de tráfego.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G