GOVERNO

Porto Alegre deflagra grito de alerta contra desindustrialização

Da redação ... 27/03/2012 ... Convergência Digital

Mais de oito mil empresários e trabalhadores ocuparam ruas de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, nesta terça-feira, 27/03, numa manifestação de empresários e trabalhadores de diversos setores da economia contra o processo de desindustrialização por que passa o país, e que já ameaça os empregos.

Protestando contra os estragos provocados pelos juros altos, pelo Real valorizado, pela alta carga tributária no país e pela invasão de produtos importados, sobretudo da China, os manifestantes partiram do Largo Glênio Peres e seguiram até o Palácio Piratini, onde uma comissão foi recebida pelo Governador do estado, Tarso Genro, que demonstrou apoio às demandas e o movimento.

O ato público contou com a participação do vice-diretor da Abinee no Rio Grande do Sul, Régis Sell Haubert, que acompanhou a manifestação, ao lado das lideranças empresariais e dos trabalhadores, participando do encaminhamento das reivindicações ao Governador e aos representantes Assembleia Legislativa do Estado, disse que o setor produtivo precisa de medidas efetivas e emergenciais que possam minimizar a invasão de produtos importados no mercado brasileiro, que impõe uma perda de competitividade ao país frente aos concorrentes internacionais.

A manifestação de Porto Alegre foi a primeira das seis já agendadas pelo movimento Grito de Alerta. O protesto vai se repetir nesta quarta-feira (28), em Florianópolis (SC), dia 3 de abril, em Curitiba (PR), dia 4 em São Paulo, dia 13, em Manaus, e dia 10 de maio, em Brasília. Presente ao ato no Palácio Piratini, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que preside a Câmara de Gestão do governo federal, reforçou o coro dos contra a falta de competitividade da economia brasileira.

"A competitividade intramuros das empresas brasileiras é boa, mas no quadro geral três ou quatro temas são prioritários", disse. Para Gerdau, o país precisa de maiores investimentos em educação para aumentar a produtividade dos trabalhadores, de uma reforma tributária para eliminar os impostos em cascata, da redução dos juros e dos custos de logística.

Ele defendeu ainda o fim dos incentivos fiscais concedidos por alguns Estados às importações. "Não posso aceitar que os importados paguem menos impostos do que os produtos fabricados no Brasil", completou. Posição também defendida pelo presidente da Abinee, Humberto Barbato. “A indústria está cada fez mais frágil, o que já está refletindo na perda de postos de trabalho e na capacidade futura de desenvolvimento da nação”, alertou o executivo.


Cobertura Especial do 2º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2017

Telebras desbanca teles e assume rede da Dataprev por R$ 292 milhões

Estatal assume rede que interliga 1,7 mil agências do INSS e data centers no lugar da Embratel, Telefônica, Oi e British Telecom.



Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do evento

Governo fecha novo texto para o Refis e amplia prazo de adesão para outubro

A equipe econômica também permitirá a redução do pagamento da primeira parcela devida, desde que o débito seja de até R$ 30 milhões, e não R$ 150 milhões. Prazo para adesão, agora, passa de 31 de agosto para 31 de outubro. Governo quer arrecadar R$ 10 bilhões.

Receita desestimula a inovação e o empreendedorismo

Movimento de articulação do ecossistema empreendedor, o Dínamo lançou um manifesto para contestar a regulação da tributação dos rendimentos decorrentes dos contratos de participação de investimento-anjo.

Governo simplifica vida do cidadão e dispensa reconhecimento de firma

Decreto do governo desobriga ao cidadão de reconhecer firma de documento já existente em base de dados. Burocracia será substituída por uma 'Carta de Serviços'. Nova norma foi publicada no Diário Oficial da União.

BNDES tem novo modelo de financiamento em infraestrutura

No lugar dos empréstimos-ponte, banco vai adotar “empréstimos sindicalizados”, ou seja, concedidos por um conjunto de bancos. Instituição torce para o interesse de bancos estrangeiros nesses negócios.


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G