GESTÃO

Software livre: ITI troca Mandriva por Ubuntu

Da redação ... 30/03/2012 ... Convergência Digital

O ITI - Instituto Nacional de Tecnologia da Informação - responsável pelo Sistema Nacional de Certificação Digital, no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP-Brasil - decidiu trocar de sistema operacional, baseado no software livre. Sai o Mandriva e entra o Ubuntu. De acordo com o coordenador-geral de Planejamento, Orçamento e administração, Júlio César Pereira, a atualização foi necessária.

“Migramos do Mandriva para o Ubuntu, plataforma mais robusta e atualizada e que atende a política do Governo Federal de utilizar softwares livres. Já houve testes realizados pelos setores de informática e auditoria, cujos resultados atestam a segurança e a capacidade operacional do Ubuntu”.

A chefe de Gabinete do ITI, Adriana Fetter, confirma a avaliação do coordenador-geral. Fetter já utiliza o Ubuntu em sua estação de trabalho e diz se tratar de um sistema bastante prático e corporativo. “O Ubuntu é uma versão de sistema operacional mais intuitivo e mais interativo. Acredito que as melhoras serão sentidas à medida em que os colegas trabalho estiverem familiarizados com essa versão do sistema”, destaca.

Para o analista de Tecnologia da Informação do ITI, Halisson Gomides, haverá maior produtividade na manipulação da informação por parte dos usuários, reduzindo assim as solicitações de suporte. “Essa mudança traz em seu cerne o remodelamento da disposição das informações institucionais a partir de uma padronização, promovendo desta forma maior organização do ambiente digital corporativo”, destaca.

De acordo com Gomides, as otimizações também alcançarão os profissionais que prestam serviços de suporte de rede e helpdesk no ITI. “Os profissionais terão melhores condições de gestão e operação. Prevemos um impacto positivo no tempo de resolução de problemas, além de preparar nosso ambiente com vistas à plena adesão à nossa Política de Segurança da Informação e Comunicações (POSIC) recém-publicada”, diz.

A migração do sistema operacional é uma das premissas do plano de ações para renovar a estrutura tecnológica do ITI. Também estão em curso alterações nas políticas de identificação virtual e maior autonomia na administração de conteúdos compartilhados pelos diversos setores do Instituto.


Governo tem versão 2018 do ePING

Padrões de interoperabilidade são obrigatórios para todos os órgãos federais integrantes do Sistema de Administração de Recursos de Tecnologia da Informação.

Entenda o impacto da Lei complementar 157/16 no setor de Telecom

Legislação traz segurança jurídica às empresas, sustenta o advogado e coordenador do Comitê Tributário da ABDTIC, Luiz Roberto Peroba.

Novo ciclo da tecnologia é oportunidade real para as PMEs no Brasil

Para Marcia Ogawa, que lidera a área de tecnologia, mídia e telecomunicações da consultoria Deloitte, demanda crescente de internet deve ampliar fatia de provedores regionais. 

Lei 157 encerra conflito ICMS X ISS nos serviços de TICs

Para o coordenador do Comitê Tributário ABDTIC, o advogado Luiz Peroba, a Lei Complementar 157/2016, que atualizou a lista dos serviços sobre os quais incide o ISS, impede, agora, que Estados queiram bitributar os serviços.

EFD-Reinf: não é só o eSocial que vai mudar a gestão da sua empresa

As corporações que não estiverem preparadas para a transmissão online das informações vão estar sujeitas a multas que podem chegar a 300% do valor pago indevidamente ao Fisco.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G