GOVERNO

Softex: Melhoria do software aumenta faturamento, clientes e projetos

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/04/2012 ... Convergência Digital

Com a divulgação de um novo balanço sobre o programa de melhoria de processo do software brasileiro – MPS.BR – a Softex sustenta que as empresas que adotaram o modelo demonstraram melhoria nos indicadores de faturamento, número de clientes e de projetos, além do número de funcionários.

O MPS.BR, lançado em 2003, tem seu impacto medido a cada três anos. Na pesquisa sobre o ano passado, 133 empresas responderam os questionários eletrônicos e é com base nesses resultados que a Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) comemora o desempenho.

“Foi possível observar novamente correlações positivas entre a maturidade das empresas no modelo MPS e o número de projetos (tanto no país quanto no exterior). As empresas de maior maturidade lidam com projetos maiores, apresentam menores erros em suas estimativas de prazo e se mostram mais produtivas”, diz o mais recente relatório.

O MPS é, portanto, uma iniciativa para melhorar a capacidade de desenvolvimento de software nas empresas brasileiras – e funciona no Brasil de forma semelhante ao modelo de referência CMMI (Capability Maurity Model Integration).

Um dos pontos destacados é que os investimentos na melhoria dos processos tem resultado direto no desempenho econômico das empresas. Metade delas aumentou seu faturamento nos últimos 12 meses o suficiente para recuperar completamente o investimento realizado na implementação e avaliação do MPS. Outras 38,46% informaram ter recuperado parcialmente o investimento realizado.

Também foi verificado o avanço das empresas na própria implementação do MPS, ou seja, nos três níveis de maturidade considerados: Pelo menos 29% das empresas pesquisadas melhorou nesse quesito, estando a maioria delas concentrada no nível intermediário.

“Até este momento já foi possível observar que a medida que as empresas adquirem maturidade também aumenta o número de clientes, número de projetos, número de funcionários, tamanho dos projetos e melhora a precisão de estimativa. Em contrapartida, observa-se um ligeiro aumento no tempo médio gasto nos projetos, que pode ser consequência do esforço gerencial adicional para lidar com todas estas variações positivas”, conclui o estudo.


Acompanhe a Cobertura Especial do RioInfo 2016

Criar reserva de mercado não é a saída para o profissional de TI

Assespro Nacional, Softex, ABES, Fenainfo e TI Rio afirmam que a medida, se aprovada, pode vir a ser uma 'camisa de força' para o setor. Representantes das entidades advertem que fechar as portas para outros especialistas será um equívoco.

Acompanhe a Cobertura Especial do RioInfo 2016

Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Governo prepara lançamento do satélite da Telebras para o dia 21 de março

O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) embarcou em direção ao Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. O equipamento saiu da cidade francesa de Cannes, local onde foi construído pela empresa Thales Alenia.

Governo fará censo para definir quais serviços serão 100% digitalizados

Ideia é centralizar os serviços digitalizados em um único canal, o Portal de Serviços do Governo Federal. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações(MCTIC) não está na primeira fase da iniciativa.

Governo estuda fusão Serpro/Dataprev em três etapas

Pela proposta que está em debate no Ministério da Fazenda, duas etapas preliminares buscariam interligar a governança das estatais até que haja formalmente a fusão entre as duas maiores empresas públicas de TI.

Internet das coisas não deslancha com a cobrança do Fistel

“Esse é um serviço de escala, de volume. Algo que vai gerar, digamos R$ 1. Mas com um Fistel de R$ 8, não é possível”, afirma o presidente executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy.


Acompanhe a cobertura do Seminário de Políticas Públicas e Negócios - Brasscom 2016

Telebras: rede única do governo fica pronta no 2º semestre e será 100% criptografada

Estatal confirma que a infraestrutura será fechada para os entes públicos das esferas municipal, estadual e federal. Previsão de ativação é para o segundo semestre.


Clique aqui e veja a cobertura completa e os vídeos da íntegra do evento

  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G