Convergência Digital - Home

No Brasil, CIOs ainda temem perder poder com uso da nuvem

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 03/04/2012
Os CIOs brasileiros temem perder poder e status se adotarem computação na nuvem, o que é um equivoco, sustenta o vice-presidente do Gartner, Cassio Dreyfuss. Segundo ele, os gestores de Tecnologia precisam entender que o poder não está em concentrar a gestão de ativos, mas, sim, em usar a TI como ferramenta efetiva de negócios.

Durante a Conferência Gartner Data Center, que acontece na capital paulista, nesta terça-feira, 03/04, Dreyfuss deixou claro que computação na nuvem veio para ficar, mas destacou que os gestores brasileiros - que tinham forte interesse no conceito, hoje, freiam suas expectativas por medo de perder influência na gestão de TI e nos negócios.

"Infelizmente, os CIOS enxergam computação na nuvem como um problema, quando ela pode ser a solução e a possibilidade de eles se aproximarem mais do negócio-fim da empresa", lamenta Dreyfuss.

Com relação ainda à computação na nuvem, o vice-presidente administrativo do Gartner, Ray Paquet, informa que nos proximos cinco anos, a área de armazenamento de dados deverá registrar um crescimento de 800%, com um declínio contínuo dos servidores - em especial - os baseados em Unix, em função do impulso dos equipamentos Windows/Linux.

Com relação ao chamado Big Data, grande volume de informações, o Gartner sustenta que o volume total de dados aumentará 59% ao ano, sendo que de 70% a 85% serão não estruturados. Não à toa, o Business Intelligence volta a ser uma das grandes preocupações dos gestores de TI.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Investimentos mundiais em nuvens públicas vão chegar a US$ 266 bilhões em 2021

No Brasil, o mercado de computação cresce cerca de 50% e já representa R$ 2,25 bilhões.


Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site