Convergência Digital - Home

Fundo norte-americano banca novo player de cloud no país

Convergência Digital
Convergência Digital - 18/04/2012

Após adquirir, em fevereiro, a empresa paulista Ascenty, especializada em soluções de computação em nuvem, o fundo de private equity norte-americano Great Hill Partners (GHP) fundou o Grupo Ascenty para explorar os mercados de telecom e data center. O novo grupo surge a partir da fusão da adquirida Ascenty com a Metro Fiber Brasil Telecomunicações (MFB) e a Data Centers do Brasil (DCB), e recebe um aporte inicial de R$ 250 milhões do GHP.

Por meio de duas empresas distintas, a Ascenty Telecom e a Ascenty Data Centers, o grupo oferecerá circuitos de alta capacidade com redes de fibras ópticas próprias e soluções de colocation, hosting, computação em nuvem e serviços gerenciados.

Atualmente, a empresa possui cerca de mil quilômetros de fibra ópticas próprias na região do ABC Paulista e Campinas. Além das instalações absorvidas com a compra da Ascenty, o grupo deve inaugurar seu primeiro data center próprio em agosto de 2012, em Campinas, e outro já no primeiro semestre de 2013, em Santo André, no ABC Paulista.

Chris Torto, que foi fundador e principal executivo da TV por assinatura Vivax (vendida à NET em 2007), será o CEO da Ascenty. Segundo o executivo, o grupo tem por objetivo levar seus produtos e serviços a outras regiões, além do eixo Rio-São Paulo. "Nosso objetivo é focar mercados ascendentes, como Campinas, ABC Paulista, São José dos Campos e Santos, entre outros e cidades do Nordeste", revela.

Torto explica que investimento inicial nas companhias está dividido assim: R$ 200 milhões na Ascenty Data Centers, que inclui a compra da Ascenty e a inauguração de dois Data Centers próprios. Os outros R$ 50 milhões serão destinados à Ascenty Telecom para a ampliação das redes de fibras ópticas no ABC Paulista, São Paulo, Campinas, Jundiaí, Barueri e também em diversas cidades no trecho de interligação São Paulo e Campinas.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site