Convergência Digital - Home

Câmara vai discutir medidas para computação em nuvem

Convergência Digital
Da redação* - 23/04/2012

A Câmara dos Deputados vai começar a discutir medidas para o desenvolvimento das aplicações em nuvem no país. Uma audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia vai reunir governo, empresas e academia para tratar da relevância tecnológica, econômica e estratégica dessa tecnologia para a competitividade nacional.

Segundo pesquisa da IDC, a computação em nuvem criará 14 milhões de empregos em todo o mundo até 2015 e as receitas de inovação poderão chegar a US$ 1,1 trilhão por ano no mesmo período. Mas o Brasil ainda tem dificuldades a superar – como a própria qualidade da banda larga – para garantir uma fatia desse mercado.

Responsável pelo requerimento de audiência, o deputado Ruy Carneiro (PSDB-PB) destaca que o uso da computação em nuvem é recente no país e há muitas questões importantes a serem discutidas com vistas a ações coordenadas – até para o Brasil confirmar a perspectiva de empregos crescentes nesse setor.

“É oportuno debater algumas das implicações: a extraterritorialidade de armazenamento de dados; a portabilidade dos dados; o reconhecimento da privacidade, intimidade e proteção dos dados; a promoção da interoperabilidade e da neutralidade tecnológica da rede e, finalmente, a necessidade de estruturar ações coordenadas entre países para o desenvolvimento de diretrizes comuns”, defende o parlamentar.

A reunião, nesta terça-feira, 24/4, deverá contar com representantes dos ministérios da Fazenda, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento, do Serpro e da Telebras, além de Assespro, Brasscom e Sinditelebrasil e das universidades USP e PUC-RJ.

* Com infomações da Agência Câmara

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Open Stack conquista o coração e o bolso das corporações

A possibilidade de personalizar o código-fonte para desenvolver aplicativos é o motivo mais forte apontado para a adesão ao open source pelas empresas latino-americanas.

Pública ou privada, a nuvem é incorporada à TI dos bancos

"Se algum banco não aceita é problema dele", diz José Antônio Eirado Neto, da Caixa. "Interoperabilidade ainda nos desafia", pontua Marino Aguiar, do Santander. Já Maurício Minas, do Bradesco, defende a nuvem pública, mas assume: "não faz sentido se desfazer do que foi construído no mainframe".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O uso inteligente do Big Data a favor da indústria

Por Marlos Bosso*

Os impactos da revolução 4.0 são inevitáveis. Identrificar o que está por vir é o desafio dos executivos.

Produzimos mais dados do que a capacidade de armazená-los

Por Thiago Franco*

Será que a demanda digital romperá com os limites físicos dos datacenters em curto prazo? Nos últimos anos, muitos especialistas têm tentado responder a esta pergunta.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site