SEGURANÇA

Conficker segue sendo o grande vilão para as corporações

Da redação ... 27/04/2012 ... Convergência Digital

O worm Conficker – programa malicioso que se replica e espalha para outros computadores – foi detectado cerca de 220 milhões de vezes em todo o mundo nos últimos dois anos e meio, tornando-se uma das maiores ameaças para as empresas. De acordo com relatório divulgado pela Microsoft, as detecções trimestrais do worm aumentaram em mais de 225% desde o início de 2009. Somente no quarto trimestre do ano passado, ele foi detectado em 1,7 milhão de sistemas em todo o mundo.

A pesquisa mostrou ainda que 92% das infecções resultaram de senhas fracas ou roubadas, e 8% exploravam vulnerabilidades. "O Conficker é um dos maiores problemas de segurança que enfrentamos, mas está ao nosso alcance nos defender dele, basta adotar fundamentos básicos de proteção", disse Tim Rains, diretor de computação confiável da Microsoft.

O Brasil tem registrado por muito tempo um índice de detecções superior ao da média em roubo de senhas e ferramentas de monitoramento por causa da prevalência de malwares (ou códigos maliciosos) como Win32/Bancos e Win32/Banker que têm como alvo clientes de bancos. O estudo analisou dados de mais de 600 milhões de sistemas no mundo.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Brasil está no top 4 do ataque hacker a organizações de 31 países

Os atacantes usaram sites comprometidos ou "watering holes" para infectar alvos pré-selecionados com malware ainda desconhecido. No ranking, Polônia, Estados Unidos, México e Brasil estão à frente da atenção dos hackers.

Ex-assessor de Obama assume presidência da Cyber Threat Alliance

Michael Daniel, que comandou os rumos da política de segurança cibernética na Casa Branca durante o Governo Obama, será o primeiro presidente da entidade, em sua nova fase como organização sem fins lucrativos, e que reúne as grandes empresas de Tecnologia da Informação.

Hackers cobram por ransomware em contas piratas do Netflix

Credenciais roubadas estão sendo oferecidas como moeda de troca para outros cibercriminosos.Os bilhetes de resgate exigem um pagamento de US$ 100 de Bitcoins (0,18 BTC) da suas vítimas.

Corretora brasileira não paga 'resgate' e tem dados de clientes vazados

A XP Investimentos teve os dados de aproximadamente 29 mil clientes roubados e divulgados por hackers, que cobraram um resgate - não pago - pela devolução das informações. As informações são dos jornais Folha de S.Paulo e Valor Econômico.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G