SEGURANÇA

Conficker segue sendo o grande vilão para as corporações

Da redação ... 27/04/2012 ... Convergência Digital

O worm Conficker – programa malicioso que se replica e espalha para outros computadores – foi detectado cerca de 220 milhões de vezes em todo o mundo nos últimos dois anos e meio, tornando-se uma das maiores ameaças para as empresas. De acordo com relatório divulgado pela Microsoft, as detecções trimestrais do worm aumentaram em mais de 225% desde o início de 2009. Somente no quarto trimestre do ano passado, ele foi detectado em 1,7 milhão de sistemas em todo o mundo.

A pesquisa mostrou ainda que 92% das infecções resultaram de senhas fracas ou roubadas, e 8% exploravam vulnerabilidades. "O Conficker é um dos maiores problemas de segurança que enfrentamos, mas está ao nosso alcance nos defender dele, basta adotar fundamentos básicos de proteção", disse Tim Rains, diretor de computação confiável da Microsoft.

O Brasil tem registrado por muito tempo um índice de detecções superior ao da média em roubo de senhas e ferramentas de monitoramento por causa da prevalência de malwares (ou códigos maliciosos) como Win32/Bancos e Win32/Banker que têm como alvo clientes de bancos. O estudo analisou dados de mais de 600 milhões de sistemas no mundo.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Golpe do 14º salário no WhatsApp atinge 770 mil brasileiros

Os golpistas pedem para o usuário conferir se tem direito a um dinheiro extra.

Brasil sofre 55% dos ataques de ransomware na América Latina

Segundo números divulgados pela Kaspersky Lab, esse tipo de ameaça registrou aumento de 30% entre 2016 e 2017.

TSE fecha acordo de cooperação em TI com a Sociedade Brasileira de Computação

Acordo é abrangente e pode abordar tanto a segurança da urna eletrônica como questões internas de informática do Tribunal. 

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G