SEGURANÇA

Segurança: Usuário brasileiro é imaturo e desconhece riscos

Da redação ... 07/05/2012 ... Convergência Digital

O Brasil está entre os países nos quais o mercado de segurança residencial apresenta maior crescimento no mundo. De acordo com estudo da Frost & Sullivan, o segmento de segurança da informação para o usuário final se manterá aquecido nos próximos anos, é esperado uma taxa média de crescimento anual de 12,4% entre 2010 e 2016.

No ano passado, o segmento apresentou um crescimento de 15,1%, resultando em um faturamento total avaliado em R$ 88 milhões. Até 2016, as expectativas permanecem otimistas, prevendo um faturamento de R$ 154 milhões.

As empresas que tiveram maior destaque dentro deste mercado foram McAfee, Symantec, Trend Micro, Panda Security e Kaspersky, sendo que McAfee e Symantec, juntas, somaram pouco mais de 70% das vendas do segmento de segurança para usuários finais em 2011.

"O mercado de usuários finais brasileiro ainda está muito imaturo, principalmente no que diz respeito ao conhecimento das ferramentas de segurança e sobre a necessidade de soluções de proteção mais robustas. O crescente uso de redes sociais e de serviços online tornam os usuários cada vez mais vulneráveis e o campo ainda mais propício para a atuação de malwares num país que já se encontra dentre os líderes mundiais de ataques maliciosos", adverte Izabela Januário, analista de mercado da Frost & Sullivan.

Soluções de segurança gratuitas ficaram em evidência na amostra analisada, representando mais de 50% dos entrevistados. Identificou-se, também, que na escolha de soluções gratuitas o fator decisivo foi a opinião de outros indivíduos. No caso de soluções pagas este fator foi também o mais relevante, todavia em menor escala, já que os serviços oferecidos e a imagem da marca tiveram um papel importante.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Corporações se unem contra ataques cibernéticos

Pelo acordo a ser assinado, grandes empresas de tecnologia prometem "proteção igualitária" a clientes contra o uso indevido de sua tecnologia. "Independente da nacionalidade, geografia ou motivação do ataque", asseguram. Entretanto, o comunicado do acordo não deixa claro quanto isso vai custar aos clientes.

NIC.br contrata plataforma para proteger centro de operações de ataques DDOs

Brasil foi o 5º país mais visado por esse tipo de ataque no ano passado. "Não se trata de ser ou não atacado. O ataque vai acontecer, o que precisa é estar preparado", diz o  Gerente de Sistemas do NIC.br, Marcelo Gardini.

Golpe de recarga grátis afeta mais de 20 mil pessoas em menos de 24 horas

Apenas no mês de abril, revela o laboratório especializado em cibercrime Dfnder Lab, foram bloqueados mais de 15 golpes diferentes envolvendo compartilhamento no WhatsApp.

Quadruplica o número de ataques DDoS originados por dispositivos IoT no Brasil

Foram mais de 220 mil reportados voluntariamente ao CERT.br no ano passado. Entidade diz ainda que parte dos ataques DDoS também foi originada por roteadores e modems de banda larga no Brasil, seja porque estavam comprometidos ou porque possuíam serviços mal configurados, permitindo amplificação de tráfego.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G