INTERNET

Banda larga: Qualidade será medida nos Pontos de Troca de Tráfego

Luís Osvaldo Grossmann ... 08/08/2012 ... Convergência Digital

Em uma tensa reunião realizada na segunda-feira, 6/8, a Anatel tomou uma decisão muito importante em relação à Internet brasileira: desistiu de medir a qualidade das conexões apenas na rede de cada operadora e resolveu adotar o critério de que elas se darão nos Pontos de Troca de Tráfego administrados pelo Comitê Gestor da Internet (CGI.br).

A decisão de fazer a medição nos PTTs foi oficializada em reunião do Grupo de Implantação de Processos de Aferição da Qualidade (Gipaq), responsável pela implementação do sistema que vai medir as velocidades das conexões dos usuários, conforme prevê regulamento aprovado pela Anatel no ano passado.

As empresas, por unanimidade, foram contra. Elas mantiveram a posição de que as medições deveriam ser “on net”, ou seja, restritas às suas próprias redes, para evitar interferências nos resultados. Mas tampouco apresentaram qualquer alternativa a essa escolha.

O Comitê Gestor da Internet, porém, sempre defendeu a necessidade de a medição ser feita em algum ponto fora das redes das próprias empresas. “Senão é como medir a qualidade de um PABX apenas pelas chamadas entre dois ramais, sem levar em conta a capacidade de fazer ligações externas”, chegou a comparar o conselheiro do CGI.br, Demi Getschko.

A própria escolha de pontos dentro das redes das empresas foi uma surpresa, quando adotada pelo Gipaq durante a seleção da empresa responsável pela medição. Isso porque a própria Resolução 574 da Anatel – o Regulamento de Gestão da Qualidade – determinava que “a medição deve ocorrer do terminal do assinante ao PTT”.

O resgate desse critério fortalece os resultados a serem obtidos a partir de 31 de outubro deste ano, quando começam as medições “oficiais” da qualidade das conexões – ou seja, aquelas que terão efeito de indicadores da Anatel para verificação de cumprimento de obrigações e, se for o caso, podem basear sanções contra aquelas empresas que descumprirem as metas.

Pelo regulamento da agência, as provedoras de conexões deverão garantir que a velocidade obtida pelos usuários não seja nunca inferior a 20% do contratado – e que, na média mensal dos acessos, não fiquem abaixo dos 60% previstos. Os percentuais serão ampliados a cada 12 meses até atingirem, respectivamente, 40% e 80%.

Em seleção realizada no início do ano, as operadoras elegeram a consultoria PriceWaterhouse Coopers, com suporte técnico da britânica SamKnows, como responsável pela medição. Para fazer isso, a SamKnows deverá instalar cerca de 12 mil equipamentos em residências de diferentes internautas – além daqueles nos PTTs. A busca desses 12 mil voluntários deve começar no próximo mês.

Com a decisão, os equipamentos de medição de redes serão instalados nos 20 PTTs existentes no Brasil – todos eles administrados pelo CGI.br: Americana-SP, Belém-PA, Belo Horizonte-MG, Brasília-DF, Campina Grande-PB, Campinas-SP, Caxias do Sul-RS, Curitiba-PR, Florianópolis-SC, Fortaleza-CE, Goiânia-GO, Londrina-PR, Natal-RN, Porto Alegre-RS, Recife-PE, Rio de Janeiro-RJ, Salvador-BA, São Paulo-SP, São José dos Campos-SP, e Vitória-ES.


2018: o ano para o Facebook apagar da sua história

Rede social admitiu que houve roubo de dados de 29 milhões de usuários na brecha de segurança descoberta no mês passado. De 15 milhões de usuários violados, foram roubados dois conjuntos de informações: nome e detalhes de contato, incluindo número de telefone, e-mail ou ambos, dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Brasil é o segundo país do mundo a ter portal do Cidadão do Facebook

Ferramenta, criada por conta das eleições nos EUA em 2016, permite a conexão entre eleitores e autoridades eleitas.

Teles seguem governo dos EUA e processam Califórnia contra neutralidade

Quatro associações de empresas do setor de telecom dos Estados Unidos ingressaram na Justiça para tentar bloquear a legislação estadual que retomou regras para a oferta de internet.

Brasil chega aos 4 milhões de endereços ‘.br’

Marca atingida neste 1º/10 inclui as mais de 120 categorias de domínios, sendo que o ‘com.br’ é o mais popular, com 3,6 milhões, ou 91% dos registros. Desse total, 1 milhão já são de registros no padrão mais seguro conhecido como DNSSEC.

Abranet: conceito de ‘pequeno’ da Anatel desconsidera realidade da Internet

Associação Brasileira de Internet adverte à agência que 68% do segmento tem no máximo 500 clientes. Só 158 empresas chegam a 5 mil acessos. "É um risco classificar todos da mesma maneira", sinaliza o representante da entidade, Edmundo Matarazzo.

Revista Abranet 25 . ago-set-out 2018
Veja a Revista Abranet nº 25 Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G