INOVAÇÃO

Start Up Brasil: aceleradoras poderão ter até 25% de empresas internacionais

Ana Paula Lobo ... 28/02/2013 ... Convergência Digital

No final de março, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, anunciará o programa de subvenção à Inovação - onde vão estar os recursos públicos para suportar o programa Start-Up Brasil. Ideia é selecionar até 100 start-ups. Expectativa é que mais de 1000 participem da seleção, sendo que as nove aceleradoras poderão escolher até 25% de empresas internacionais. "Esperamos mesmo que isso aconteça. Queremos atrair cérebros para o Brasil", sustentou Virgílio Almeida. da SEPIN.

Nesta quinta-feira, 28/02, durante o anúncio das nove aceleradoras selecionadas para o programa - Aceleratech, Microsoft, Papaya, Pipa, Wayra, 21212, Fumsoft, Outsource e Start You Up, o secretário de Informática do MCTI não quis antecipar detalhes sobre o edital de seleção das start-ups - até para não 'furar' o anúncio ministerial, mas garantiu que haverá, sim, facilidades para a vinda de empreendedores estrangeiros para o país.

"Estamos vendo uma maneira de criar um visto com menos burocracia para esse trabalho específico. O Brasil precisa atrair empreendedores do mundo. Estabelecemos uma meta de até 25%. Assim, há espaço para combinarmos talentos. O Brasil precisa ser um porto para esses empreendedores", frisou Almeida, referindo-se, especialmente, à Wayra, da Telefônica, e à Microsoft, as duas multinacionais selecionadas como aceleradoras. Cada start-up selecionada receberá até R$ 200 mil do governo, o que significará um aporte público de R$ 20 milhões, que serão somados aos R$ 36 milhões, realizados pelas aceleradoras.

No cronograma do Start-Up Brasil, as inscrições das empresas interessadas vai até maio. No final de junho, as empresas selecionadas serão anunciadas. Como aconteceu no processo de escolha das aceleradoras - haverá uma comissão especial, mas também terá a participação direta das aceleradoras.

"Queremos ter a certeza que não haverá a escolha apenas de empresas de Internet. Elas são essenciais, mas queremos abrir frente para empresas de software e serviços. Que façam aplicações para áreas como petróleo e gás; energia, telecom. Precisamos criar mercado nacional e internacional", destacou Almeida.

O fracasso não assusta. Isso porque, salientou o secretário da SEPIN, ele é uma realidade no empreendedorismo. "Não podemos dizer quantas dessas 100 empresas que serão selecionadas vão vingar e ganhar mercado. O programa é para isso mesmo. O governo mitigou o risco tecnológico. O mercado, com as aceleradoras, mitigará o risco de mercado. Inovação é isso", acrescentou.

O coordenador de software e serviços do MCTI, Rafael Moreira, comemorou o bom resultado - uma vez que 23 empresas tentaram ser aceleradoras - da parceria pública privada sugerida na área de empreendedorismo. "Ficou claro que quando o governo definiu um rumo, a iniciativa privada se organizou e o ecossistema se aglutinou e houve uma mobilização imediata".


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Paraná adota Governança de TIC para ser referência em inovação

O coordenador de Ciência e Tecnologia do governo do Paraná, Evandro Mazotto, admite que não existe inovação sem incentivo fiscal e que é hora de consolidar parcerias com empresas privadas.

À espera da regulamentação, Marco Legal de Ciência e Tecnologia esbarra na agenda política

Há 18 meses, a nova legislação aguarda uma posição governamental e faltam recursos para a pesquisa no País.

Criptomoedas triplicam em um ano e são usadas por 5 milhões no mundo

Estudo da Universidade de Cambridge identificou 144 organizações em 38 países envolvidas com essa nova tecnologia. E estimou que o mercado chegou a abril de 2017 com valor equivalente a R$ 90 bilhões. 

Brasil não avança e fica em 69º lugar no ranking Global de Inovação

País fica atrás de diversos vizinhos da América Latina, entre eles, o Chile, em 46º, México, 58º e Colômbia, 65º. Países como Índia, Quênia e Vietnã ganham destaque e aparecem como 'conquistadores da inovação'.

TOTVS lança Carol, plataforma de inteligência artificial para a nova era da TI

Empresa projeta IA para ampliar a velocidade de tomada de decisões dos clientes. Cientistas de dados são a alma da plataforma,salienta o diretor executivo da TOTVS Labs, Vicente Goetten.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G